A ditadura de choque dos coronéis da Polícia Militar

A PM de São Paulo é a maior polícia do Brasil e a terceira maior instituição militar da América Latina, contando com 93 986 policiais. Está subordinada ao governador Geraldo Alckmin.

O Tribunal de Justiça do Estado de Sao Paulo é constituído por 360 desembargadores, sendo considerado o maior tribunal do mundo.

São Paulo tem um lema: “Não pode parar”. O povo não pode parar de trabalhar, faça sol, faça lua.

O Executivo também é monstruoso.

O Estado, que tem o maior pib do Brasil, vive parando. O metrô não sai do lugar. Ficou emperrado em algum lugar pela propina.

Quando chove, alaga tudo.

De noite falta luz. De dia falta água.

A polícia quando vai para as ruas o povo treme.

Escrevem os Fotógrafos Ativistas:

 

As regras deles
________________________________________

Eles querem se certificar de que a ordem será mantida.
A ordem, a opressão, o medo, o sangue, a tortura, a alienação.
Tanta disciplina em nome da segurança da nação.
E nada sobra.
Pro alto do morro vem o senhor Capitão, ameaçando suas crianças e tirando-lhes a esperança.
Quando desce do morro vem o senhor Capitão, a censurar nossos atos, punir nossas defesas tirar de nós os direitos em questão.
Não é na conversa.
Não é na boa.
Não é para ser justo.
É na pancada
É no arrasto
É na covardia
É na humilhação
É pro benefício dos patriarcas impunes dos pecados sangrentos de uma Ditadura nascida, vivida e permanente.
O povo se arma de palavras contra os golpes nas entrelinhas sociais.
Daí vem o Choque.
Avança o Choque.
Ele passa, massacra, pisoteia.
Te esquece, te apaga, já era.

Cuidado!
Com o Choque.
________________________________________
FOTO: Fotógrafos Ativistas
TEXTO: A. L – Fotógrafos Ativistas

AUDIODESCRIÇÃO: (Formação em Linha da Tropa de Choque de São Paulo, o comandante aponta seu dedo em direção aos jornalistas e fotógrafos que estão atrás das do fotógrafo ativista que tirou a foto.)

 

choque

É HORA DA REVOLUÇÃO!

por Mariana Valle

Mariana Valle
Mariana Valle

Não são só 20 centavos,
é um basta a muitos anos
como escravos
da corrupção.

Chega de desperdício,
de dinheiro suado
pagando serviços
que não são vistos
e impostos
que alimentam os vícios
de consumo e comportamento
de tanto político

ladrão!

CHEGA DE ALIENAÇÃO.

ALIENADOS, ANDÁMOS NÓS

por Gregório Zacarias

O processo de alienação nos nossos dias está mais visível em todas as facetas sociais. A palavra alienação vem do latim alienare que significa tornar algo alheio a alguém, ou seja, tornar algo pertencente a outro. Nos dias que correm, o termo tem várias significações.

Por exemplo, em Direito, alienação significa a transferência da propriedade de um bem a outra pessoa. Nesse sentido costuma-se dizer que os bens do devedor foram alienados.

Em psicologia, alienação é o estado patológico do indivíduo que se tornou alheio a si próprio, sentindo-se como estranho, sem contacto consigo mesmo. Nesse estado, a pessoa não é responsável pelos seus atos.

Na linguagem filosófica contemporânea, o termo alienação deve muito de seu uso corrente ao filósofo alemão Karl Marx, para quem alienação é o processo pelo qual os atos de uma pessoa são governados por outros e se transformam em uma força estranha colocada em posição superior e contrária a que a produziu.

Partindo destes pressupostos e observando o que acontece em nosso meio não podemos descartar a hipótese de que andamos alienados sobretudo se analisarmos o tipo de relações pessoais que nos acompanham.

Hoje em dia, atingido pelo processo de alienação, o ser humano perde contacto com o eu, com a sua individualidade e passa a sentir-se como uma “coisa” que precisa alcançar sucesso no mercado das “personalidades”.

Exemplos elucidativos desta tendência foram visíveis durante as campanhas eleitorais (…), em que muitos indivíduos foram alienados pelos partidos políticos e, deixando de agir como seres conscientes e governadores dos seus próprios destinos, inúmeras vezes apareciam às telas das televisões e a outros órgãos de informação em massa vendendo a sua mercadoria, proclamando-se desertores deste ou daquele partido. Mais do que isso, via-se em seus rostos que tudo quanto diziam era fruto de discursos pré-elaborados por outros e irrecusavelmente deviam profanar em viva voz, sem direito a um acréscimo ou decréscimo de algumas palavras, agiam como verdadeiros acéfalos.

Para além disso, (…) fiquei desiludido com as intervenções dos que subiram ao pódio uma vez que ao invés de primarem por intervenções abrangentes limitavam-se em elogiar e, o mais acutilante é que tais intervenções não os identificavam.

Estes exemplos vêm comprovarem que andamos alienados. Como dissemos o importante para os indivíduos é alcançar o sucesso no mercado das personalidades: sucesso financeiro, profissional, intelectual, social, sexual, político, expositivo, etc. O tipo de sucesso perseguido depende do mercado em que a pessoa quer “vender” sua personalidade.

 

Transcrevi trechos. Gregório Zacarias é autor do livro Borbulhos d’África Negra