Jovem estuprada em festa da Universidade Federal do Espírito Santo. Também este ano teve curra no campus da UF de Juiz de Fora. Uma menor foi desvirginada

Uma jovem de 19 anos foi vítima de estupro na madrugada deste sábado (8), durante uma festa de música eletrônica, na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no bairro Goiabeiras, em Vitória. A jovem contou que foi rendida por um homem armado enquanto procurava um banheiro.

Um vigilante da Ufes, que não quis se identificar, viu o suspeito e o abordou. “O rapaz conduzia a moça, apontando a arma para a costela dela. Quando os vi, pedi que ele deitasse no chão, e o imobilizamos para averiguação”. Leia mais . Veja vídeo.

O nome desse psicopata precisa ser revelado. Também é desconhecida a alma sebosa que estuprou, em abril último, uma universitária de 17 anos, no Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora. Foi outra festinha com muita bebida. Inclusive a menor foi drogada. Caiu na armadinha do boa noite Cinderela.

Essa história manjada de que a reitoria não sabia da festa não engana ninguém. A universidade tem que punir seus alunos criminosos com todo rigor, e exigir o devido inquérito policial e o julgamento da justiça. Basta de impunidade. E, no caso de Juiz de Fora, possível cumplicidade.

Marcha das vadias protestou contra o desfloramento de uma menor no campus da Universidade Federal de Juiz de Fora (com vídeo)

Marcha das Vadias em Belo Horizonte
Marcha das Vadias em Belo Horizonte

As mulheres do Brasil cobraram a apresentação do inquérito administrativo que o reitor Henrique Duque mandou abrir para inglês ver.

E do governador Antônio Anastasia, de Minas Gerais, a conclusão do inquérito secreto, super secreto, que corre na escuridão da Delegacia de Proteção e Orientação à Família, em Juiz de Fora, comandada pela delegada Maria Isabela Bovalente Santo.

O estupro ou possivel curra aconteceu numa sexta-feira 13. Dia 13  de abril último, no Instituto de Artes e Design (AID). A menor de 17 anos, que foi vítima do golpe boa noite cinderela, apresentou uma lista de  estudantes safados, imorais, indecentes, covardes, mentalmente e moralmente doentes, machistas cruéis da UFJF, que podem ter participado do hediondo crime. Uma gangue acostumada a praticar o bulismo e trotes sadomasoquistas.

Parece que não foi investigado, ainda, nenhum dos nomes da lista sangrenta. Nenhunzinho. Tudo filho do papai. Da tradicional família mineira.

Veja vídeo da chamada para a Passeata das Vadias em Campinas.

Não foi confirmado, mas o reitor Henrique Duque mandou dobrar o policiamento na UFJF. No campus, continua proibida a realização de  qualquer protesto. Medida ditatorial que conta com o apoio suspeito do diretório acadêmico.

Quem estuprou a pupila do reitor Henrique Duque no campus da Universidade Federal de Juiz de Fora?

Uma menor de 17 anos, virgem, matriculada na Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, foi estuprada, em abril último, por um colega, ou currada por uma gangue de alunos, em uma festa de calouros no Instituto de Artes e Design.

Estupro, apesar de ser um crime hediondo, até agora, o governador Antonio Anastasia não falou que diabo a polícia PPV, que comanda, fez  para prender os criminosos. Mais grave ainda, o reitor Henrique Duque não abandonou sua magnificência, para tranquilizar os pais das alunas. É muito descaso.

O clima no campus, onde aconteceu o desfloramento, precisamente no local chamado matadouros, atrás do prédio do IAD,  é tão amedrontador, terrificante, que a vítima teve que abandonar a faculdade.

A menor  do interior de São Paulo, passou em 5 (cinco) vestibulares, e preferiu estudar no local errado, a UFJF, onde imperam as gangues de droga e do bulismo. Tanto que chamam o Instituto de Artes e Design de aí-dê.

Gastar milhões com campanhas, e não colocar os criminosos na cadeia, principalmente quando os bandidos são endinheirados, constitui publicidade enganosa, cumplicidade.