TRINTA ANOS DE EXÍLIO. Mirian Dutra volta ao Brasil para provar que era sustentada por empresas alcoviteiras de FHC que comprou para o filho deles um apartamento de 200 mil euros

Mírian Dutra volta do exílio para denunciar as alcoviteiras de Fernando Henrique: a proxeneta Brasif e a cafetina TV Globo. A Polícia Federal propaga os depoimentos na Lava Jato, desde que sejam contrários ao PT e partidos aliados. O juiz Sergio Morou vai além do crime de vazamento, para entregar para TV Globo os grampos de conversas da presidente Dilma Rousseff. Clique nos links. Miriam vem apenas provar o que todo mundo já sabe. Foi forçada a ir para o exílio, depois de oito anos de concubinato com Fernando Henrique. Um exílio pago pela TV Globo e pela Brasif. Trinta anos de exílio. Só não está explicado como Fernando Henrique arranjou dinheiro para comprar um aparamento de 200 mil euros para o filho dele com Mirian na Espanha. Comprou um apartamento em Paris. Recentemente comprou um terceiro para a atual esposa, conforme contrato nupcial. Haja dinheiro

 

EXCLUSIVO: MÍRIAN DUTRA MARCA DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL EM INQUÉRITO SOBRE FHC

 

por Joaquim de Carvalho

 

Já tem data marcada o depoimento da jornalista Mírian Dutra à Polícia Federal. Será no dia 7 de abril, às 10 horas. Mírian mora em Madri, mas preferiu depor em São Paulo, na presença de seu advogado, José Diogo Bastos.

Na declaração que me deu, depois que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a citou numa entrevista ao Estadão, Mírian disse: “Estou esperando essa solicitação da Polícia Federal para depor e contar o que realmente acontecia. O senhor Fernando Henrique Cardoso não pode esquecer que tenho todos os recibos, e tenho os contratos comigo. Não se iluda.”

Mírian recebeu ontem de manhã o telefonema de um escrivão da Polícia Federal em Brasília, e hoje um adido da PF em Madri ligou novamente, para dizer que ela poderia depor na capital espanhola, se quisesse. Seu advogado retornou o contato da Polícia Federal em Brasília e marcou a data do depoimento, que será em São Paulo.

Mírian vai depor como testemunha, num inquérito que tem como alvo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A investigação foi aberta depois que a Folha de S. Paulo publicou a cópia do contrato que Mírian Dutra assinou com a Brasif quando Fernando Henrique Cardoso ainda era presidente da República e ela trabalhava na TV Globo.

“Eu nunca trabalhei para a Brasif. O que aconteceu na época é que a TV Globo cortou 40 por cento do meu salário, e o Fernando Henrique arrumou esse contrato para complementar minha renda”, disse Mírian Dutra.

Eram 3 mil dólares por mês, depositados na conta da jornalista Mírian Dutra. Em 2009, sem que Mírian soubesse, Fernando Henrique divulgou à imprensa que tinha reconhecido a paternidade de Tomás, então com 18 anos, num cartório da Espanha. Em 2011, também sem que Mírian soubesse, ele disse ter feito exame de DNA e descoberto que o filho não era dele.

Em 2014, o advogado de Mírian notificou duas vezes Fernando Henrique Cardoso para que apresentasse os documentos de reconhecimento de paternidade e o resultado do DNA. O ex-presidente não respondeu às notificações, e alguns meses depois comprou para Tomás um apartamento em Barcelona. Pagou em dinheiro: 200 mil euros.

O caso Brasif chamou a atenção da PF porque a empresa era concessionária do governo federal. Controlava as lojas duty free dos aeroportos brasileiros, e seu proprietário recebeu pelo menos onze concessões de TV durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, em sociedade com Alberico de Souza Cruz, que foi diretor de jornalismo da Rede Globo e chefe de Mírian quando ela decidiu se mudar para a Europa, e acabou contratada por uma TV de Roberto Marinho em Portugal.

Além disso, remessas de dinheiro através de contratos fraudulentos indicam a existência de lavagem de dinheiro. É o que a Polícia Federal, em tese, deve apurar.

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário em “TRINTA ANOS DE EXÍLIO. Mirian Dutra volta ao Brasil para provar que era sustentada por empresas alcoviteiras de FHC que comprou para o filho deles um apartamento de 200 mil euros”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s