Sem indicar o nome do sucessor de Dilma, tucanos e camisas pretas realizam amanhã marcha golpista

Cartazes proibidos na passeata de amanhã 13 de março: As contas no exterior de Eduardo Cunha, de FHC, a lista da Furnas, o leilão de ações da Petrobras na bolsa de Nova Iporque, o Proer dos bancos, os governadores tucanos, o tráfico de diamantes, de nióbio, de dinheiro para as ilhas fiscais desde os tempos do BanEstado do juiz Moro, que tem fixação em Lula, e o nome do substituto de Dilma, no caso de um impeachment ou de uma intervenção militar estrangeira.

A corrupção no Brasil começa na justiça. Uma justiça cara. Receber um salário acima do teto constitucional é corrupção. Pode ser legal em todos os sentidos, mas não é justo. Não há justiça quando se perpetua a desigualdade.

A separação dos brasileiros em classes, em castas, é odienta, racista, preconceituosa, e inimiga da liberdade da maioria, e da fraternidade. Temos que combater o apartheid social, econômico, que a pobreza tem cor. A cor da camisa de Moro.

A Operação Lava Jato tem mais delator premiado do que preso preso. Pra lá de premiado. Tem doleiro que vai sair mais rico. Assim como aconteceu no julgamento dos ladrões e sonegadores do BanEstado. É a justiça misturada com a politicagem. Ninguém vai perder suas fortunas. Podem até devolver alguns trocados, como farsa, cortina de fumaça. Todos continuarão podres, podres de rico. As empreiteiras com suas concessões de ilhas, e palácios em praias particulares, e moradias de luxo no exterior. E os políticos com a ficha limpa, tão lavada quanto o dinheiro das propinas em fundações e ONGs e gastos super faturados nas campanhas eleitorais. O dinheiro que está nos paraísos fiscais não volta.

O Brasil perde todas.

Perderá mais ainda com a corrupção de um golpe. Toda ditadura tem banho de sangue. Lista de presos políticos, tortura e morte. Os ricos que patrocinaram o golpe de 64 ficaram mais ricos. Inclusive políticos e empreiteiras que estão na Lava Jato são crias de 64, e serão todos novamente beneficiados.

Os puros que lutaram contra a ditadura foram assassinados. E com a ajuda do Tio. Para isso Moro já pediu a ajuda do FBI. FHC deu permissão para CIA abrir escritórios no Brasil, entregou as estatais e desnacionalizou as empresas, inclusive os meios de comunicação de massa. Transformou nossas bases de foguetes em bases do Tio. Está tudo entregue. É o “ame-o ou deixe-o” dos militares e torturadores. Idem da oposição consentida.

Quem não gosta da cunha do Tio, vá pra Cuba. Para a Prisão de Guantánamo (Guantánamo Bay Detention Camp).

O brasileiro, na sua maioria, é um empregado terceirizado, mão de obra barata de uma ex-estatal, de uma montadora ou oficina estrangeira. Um sem teto, um sem terra, um sem nada. A Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro tem mais de mil favelas, e São Paulo, a capital mais rica, mais de duas mil favelas. No Rio, foram criados muros para separar as favelas. Isso é apartheid. Dizem que o tráfico está nas favelas. O tráfico de dinheiro, de moedas, de minérios, principalmente do nióbio, das drogas transportadas em helicópteros. Conversa para boi dormir. Piada. Humor negro.

Têm santos e santas que pedem o impeachment de Dilma, ou a morte matada, ou o suicidio. Que seja enterrada sem choro nem velas.

Safada, covarde, malandra, demagogicamente não citam o nome de quem vai suceder a presidente eleita democraticamente. Os mistificadores pretendem enganar o povo, porque não possuem nenhum nome aceitável. As eleições da sucessão de Dilma têm data marcada para o final de 2018, e posse, do candidato eleito nas urnas, no dia 1 de janeiro de 2019.

Hojemente, pela linha sucessória, assume o vice-presidente Michel Temer, eleito e reeleito com os votos de Dilma. Tão solidário com os atos e fatos do governo, que foi indicado por Dilma para ser candidato à reeleição. Se Michel, por força destes vínculos eleitoral e governista, também for cassado, assume o presidente da Câmara dos Deputados, o corrupto Eduardo Cunha, réu em vários processos de propina, tráfico de dinheiro e enriquecimento ilícito.

Tem que peça uma ditadura de Bolsonaro, mas nenhum general, ou almirante ou brigadeiro, por vários motivos, aceitaria o comando de um capitão. Ninguém sabe, realmente, os motivos de Bolsonaro ter abandonado o posto de capitão, nazista que é. É deputado federal com cadeira cativa, e elegeu o filho deputado estadual, e a mulher vereadora. Trocou de mulher, e no lugar da primeira esposa elegeu o segundo filho vereador. É um nepotista eleitoral que defende a Tradição, a Família e a Propriedade (TFP), e combate os negros, os gays, as lésbicas, o sexo anal praticado pelas mulheres, os esquerdistas.

Aécio, Alckmin, Marina, Serra, Maluf, Moro, Joaquim Barbosa, FHC só podem disputar eleições presidenciais em 2018. Falta a resposta: essa gente é democrática ou golpista? Pede eleições livres e diretas ou o retorno da ditadura?  Ou faz campanha para Michel Temer ou Cunha?

O que é melhor para o Brasil? Quem, realmente, deseja a felicidade do povo em geral? Um Brasil colônia ou um Brasil independente?

 

Anúncios

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s