Brasil é 1º em mortes de jornalistas nas Américas

Daniela Fernandes
De Paris para a BBC Brasil

 

O Brasil se tornou o país com o maior número de jornalistas mortos nas Américas, segundo o relatório anual da organização Repórteres sem Fronteiras (RFS), com sede em Paris, divulgado em 2o14.
Com cinco jornalistas mortos no país em 2013, o Brasil passou o México (duas vítimas), considerado um “país muito mais perigoso (do que o Brasil)”, diz o relatório.
A organização calcula que 114 jornalistas foram feridos desde junho de 2013 por conta dos protestos que tomaram conta do Brasil, no que a RSF chama de “primavera brasileira”.
“A dura repressão policial que ocorreu no Brasil em 2013 também atingiu os profissionais da informação. Essa primavera brasileira provoca um forte questionamento em relação ao modelo midiático dominante e coloca em evidência os sinistros hábitos mantidos pela polícia militar desde a ditadura”, afirma o relatório.
Para a organização, “mais de dois terços dos casos (de violência contra jornalistas nos protestos) são atribuídos às forças policiais”.

JORNALISTAS MORTOS

Cláudio Moleiro de Souza (12/10/2013) – Rádio Meridional – assassinado com um tiro no pescoço na rádio onde trabalhava, em Rondônia. A polícia descartou a possibilidade de roubo como motivo do crime e afirmou que Souza foi vítima de um atentado.

José Roberto Ornelas de Lemos, 45 anos (11/06/2013) – Hora H – foi executado com 44 tiros em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro enquanto fazia compras em uma padaria. Um carro com quatro pessoas estacionou na frente do local e começou a atirar em sua direção. Segundo sua família, Lemos já havia recebido ameaças de morte em razão da linha editorial do jornal, bastante crítica em relação à polícia e às autoridades locais.

Walgney Assis Carvalho, 43 anos (14/04/2013) – Jornal Vale do Aço – o fotógrafo foi assassinado com um tiro nas costas em um restaurante em Coronel Fabriciano (MG) por um motoqueiro que fugiu após os disparos. Carvalho teria informações sobre o assassinato de um colega de trabalho (Rodrigo Neto de Faria), morto um mês antes.

Rodrigo Neto de Faria, 38 anos (08/03/2013) – Rádio Vangarda AM / Vale do Aço – morto a tiros por dois homens enquanto saía de um bar em Ipatinga (MG). Autoridades federais acreditam em excecução. O jornalista havia denunciado o envolvimento de policiais em crimes. Suas denúncias haviam sido feitas à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Mafaldo Bezerra Goes, 61 anos (22/02/2013)- Rádio FM Rio Jaguaribe – morto a tiros por dois motoqueiros em Jaguaribe, no Ceará. Goes denunciava em seus programas nomes de suspeitos de crimes e teria sido assassinado por ordem de um traficante preso.

 

 

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário em “Brasil é 1º em mortes de jornalistas nas Américas”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s