Golpe no Brasil segue modelo da CIA no Paraguai

POVO NAS RUAS CONTRA GOLPE. CONTRA A ENTREGA DE TODO O PODER PARA A BANDA PODRE DO PMDB. CONTRA A DITADURA PARLAMENTAR DO PRIMEIRO-MINISTRO EDUARDO CUNHA E O SEMIPARLAMENTARISMO DE MICHEL TEMER O TRAIDOR

 

Ministro Luiz Edson Fachin, que relata o processo de impeachment no Supremo Tribunal Federal, tomou duas decisões contra o Palácio do Planalto nesta quarta-feira 16.

Primeiro, validou a escolha, por voto secreto, da comissão que poderá julgar o processo; além disso, dispensou a necessidade de defesa prévia da presidente Dilma Rousseff antes da aceitação do impeachment pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Fachin também sustentou que, se a Câmara admitir a denúncia, o Senado necessariamente deve iniciar o processo. E destacou que “o julgamento não é meramente político, não é moção de desconfiança de regime parlamentarista”.

O ministro faz que não sabe: Eduardo Cunha governa o Brasil como primeiro-ministro. Michel Temer promete um governo semiparlamentarista.

O golpe contra Dilma é, realmente, um processo político, da pior política, que promete todo poder para a banda podre do PMDB.

É preciso saber se o povo vai aceitar essa ditadura parlamentar. Que transforma o Brasil num Paraguai.

Pobre Brasil que se desconhece o amanhã.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s