E, apesar da provas, tudo ainda gira em torno do tóxico Eduardo Cunha

Talis Andrade

Presidente da Câmara, cada vez mais acossado no cargo, tenta negociar impeachment

eduardo cunha desenho
por ANTONIO JIMÉNEZ BARCA/ El País/ Espanha

Em 10 de abril de 2000, a apresentadora de um telejornal de uma emissora carioca, Claudia Cruz, deu, com uma cara de poker, a notícia da destituição por suposta fraude do diretor da Companhia Estadual de Habitação do Rio de Janeiro. O tipo em questão era um então desconhecido Eduardo Cunha. E a apresentadora com cara de poker era sua própria mulher informando, para sua desgraça, o destino do marido. Já se passaram 16 anos e o ultraconservador Cunha, nascido no Rio de Janeiro em 1959, já bastante conhecido, protagoniza todos os telejornais. Sua mulher, que nas contas na Suíça que engordam o escândalo se identifica simplesmente como “dona-de-casa”, também.

Eduardo Cunha, o polêmico e poliédrico presidente do Câmara, homem-chave na crise política que está fazendo sangrar o país…

Ver o post original 829 mais palavras

Anúncios

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s