Evo Morales alerta sobre ofensiva contra governos progressistas

golpistas

O presidente da Bolívia, Evo Morales, alertou, que está em marcha uma campanha contra os governos populares e progressistas da América do Sul, em uma entrevista publicada pelo jornal Página 12.

Nela, expressou sua preocupação pela “ofensiva contra os governos anti-imperialistas” que acontece através dos ataques de fundos abutres contra a Argentina, dos movimentos golpistas na Venezuela e das operações opositoras contra a presidenta brasileira, Dilma Rousseff.

Ele disse que agora não podem fazer golpes de Estado militares, tampouco conspirações com o império norte-americano, “mas sinto que há outras formas de agressão política, como as chantagens e os condicionamentos à Venezuela”.

Na Argentina, por exemplo, o litígio dos fundos abutres é uma agressão econômica, afirmou e advertiu que, “quando um governo anti-imperialista é sólido, querem destroçar pelo lado econômico”.

Diante dessa situação destacou que “o trabalho conjunto da região é importante. E quando não podem nem militar nem economicamente, fazem um golpe político como contra (Fernando) Lugo no Paraguai”.

Morales opinou que “a agressão a Dilma é política, um golpe através do Congresso. E muito também depende de nossos movimentos sociais, e claro, sinto que o império quer tirar o patrimônio político do Partido dos Trabalhadores. “Já não é só contra Dilma, também é contra Lula. Usam o tema da corrupção”, avaliou.

A uma pergunta sobre se os Estados Unidos estão por trás dessa ofensiva, afirmou: “é muito claro com a Venezuela. E os fundos abutres de onde vêm? Os fundos abutres têm suas estruturas econômicas para chantagear-nos nos Estados Unidos”.

Em suas declarações elogiou Luiz Inácio Lula da Silva, Néstor Kirchner e Hugo Chávez, por terem dignificado a América Latina. Comparou a Bolívia instável e a Bolívia de agora. Morales chegou à presidência em janeiro de 2006 e foi eleito pela terceira vez em outubro do ano passado. Em uma década, a extrema pobreza baixou de 38,3 por cento a 17,8 por cento.

Evo 1

Posse de Evo, primeiro governante índio depois de 500 anos de apartheid
Posse de Evo, primeiro governante índio depois de 500 anos de apartheid

Fonte: Prensa Latina

Anúncios

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s