Papa sobre imigrantes: expulsá-los é um ato de guerra

O jornaleiro

Cidade do Vaticano (RV) – Tensões e conflitos se resolvem com o ‘diálogo’ e o ‘respeito das identidades’. Rejeitar os imigrantes Rohingya, de religião muçulmana, é ‘guerra, significa matar’. Essa foi uma das respostas do Papa Francisco ao participantes do encontro do Movimento Eucarístico Jovem da última sexta-feira (7), no Vaticano. Entre perguntas e respostas, o Papa falou por cerca de 40 minutos também da necessidade de reconhecer a verdadeira paz, contra a paz ‘superficial’ que vem do diabo, um mal pagador que te enrola’.

ANSA770998_LancioGrande emigrantes

O Papa, ao fazer referência à situação dos irmãos Rohingya, disse para se refletir sobre lá onde ‘se respira uma grande diversidade de culturas’. Os Rohingya fogem de onde não conseguem ter a cidadania e nem os direitos fundamentais garantidos. Só na última semana, no Mediterrâneo, foram salvos mais de 2 mil imigrantes, enquanto que na terça-feira (4) da semana passada, 26 foram encontrados mortos…

Ver o post original 429 mais palavras

Anúncios

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s