Nenhuma retórica sobre a velhice

O jornaleiro

Velho e arranhado disco.  Por Alex Falcó Chang Velho e arranhado disco. Por Alex Falcó Chang

A Pontifícia academia para a vida interroga-se sobre os cuidados paliativos

O reconhecimento do idoso como pessoa e a compreensão das suas necessidades de cura, à luz da natureza necessitada de cada ser humano: em volta destes dois eixos deve girar qualquer reflexão sobre os desafios da assistência à terceira idade.

É a convicção que se repete nas intervenções dos estudiosos cientistas e sacerdotes que na sexta-feira 6 de Março se reuniram no Vaticano para o workshop organizado pela Pontifícia academia para a vida, por ocasião da vigésima primeira assembleia geral.

Durante três sessões – duas de manhã e uma à tarde – relatores qualificados confrontaram-se sobre o tema da assistência aos idosos e dos cuidados paliativos, aprofundando as suas perspectivas ético-antropológicas e socioculturais.

Segundo o bispo presidente, Ignacio Carrasco de Paula, «só partindo de um olhar que reconhece a pessoa idosa…

Ver o post original 102 mais palavras

Anúncios

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s