Eike leva vantagem em tudo: consegue a saída do juiz, suspende leilão e volta a usar luxuosos bens

 

Clayton
Clayton

 

O Ministério Público Federal mudou seu posicionamento e decidiu apoiar a troca do juiz do caso Eike Batista, além de pedir a anulação de todas as suas decisões no processo contra o empresário. Segundo a Procuradoria, houve uma ‘mudança no quadro’.

A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (25), em nota à imprensa. Há pouco mais de um mês, a Procuradoria tinha se posicionado contra o afastamento do juiz Flávio Roberto de Souza, titular da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Parece até que o juiz pedia para cair fora… Na hora de dar uma voltinha no carro de ouro de Eike, a imprensa todinha tava esperando. Como se tivesse marcado uma entrevista coletiva.

 

 

‘Mudança do quadro’

AUTO_zop carro eike
Para a procuradora regional da República Silvana Batini, autora do parecer, houve uma “indiscutível mudança do quadro”.

O juiz federal foi flagrado dirigindo um Porsche do empresário apreendido pela Polícia Federal. Em entrevista à “Folha”, ele confirmou que estava com o carro e disse ter guardado o veículo na garagem do prédio onde mora, na Barra da Tijuca, para ficar seguro e protegido de sol e chuva.

O juiz disse, ainda, que isso é “absolutamente normal”.

No domingo, em entrevista divulgada pelo programa Fantástico, da TV Globo, o mesmo juiz disse que Eike vive em “ostentação totalmente incompatível com quem tem dívidas bilionárias”.

“As recentes declarações, somadas à postura injustificável de uso do bens acautelados na Justiça, dispensam maiores comentários do MP Federal, pois são indefensáveis e acarretam a inevitável revaloração sobre a condução da ação penal”, afirma a procuradora.

“O reconhecimento da suspeição deve se estender também com relação às outras ações contra o mesmo réu.”

 

Julgamento e apreensão de bens

Miguel
Miguel

Eike está sendo julgado por crimes contra o mercado financeiro. Ele é acusado de manipulação do mercado e uso de informação privilegiada ao negociar ações da sua petroleira, a OGX (hoje OGPar), o que teria causado prejuízo a investidores.

O julgamento teve sua primeira audiência em novembro de 2014 e ainda não há data para sua retomada.

Neste mês, a Polícia Federal apreendeu bens de Eike, seus filhos, sua mulher, Flávia Sampaio, e sua ex-mulher, Luma de Oliveira, após mandado expedido pelo juiz Flávio Roberto de Souza. O objetivo seria garantir os R$ 3 bilhões do empresário que a Justiça Federal mandou bloquear.

Dentre os bens apreendidos estão um Lamborguini, um Porsche, um iate e um piano de cauda. Os bens seriam leiloados nesta quinta-feira (26), mas o processo foi suspenso. Eta cara de sorte. Merecidamente, Eike tem o apelido “bundinha de ouro”.  Fonte UOL

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s