Cobrar pedágio em estrada construída com o dinheiro do povo é roubo. Corrupção legalizada. O negócio mais lucrativo que existe. Você entra com nenhum tostão e ganha um milhão a cada mês ou dia

Todo cobrador de pedágio é ladrão. Isso fazia Robin Hood, entre 1250 e 1260, na Inglaterra de Ricardo Coração de Leão, durante uma guerra pelo trono.

Robin cobrava pedágio dos ricos para dar aos pobres. Hoje, no Brasil, ninguém sabe para onde vai o dinheiro. Coisa jamais investigada. Que a justiça é cega e muda e surda.

Robin Hood Memorial, em Nottingham, junto ao castelo
Robin Hood Memorial, em Nottingham, junto ao castelo

Esmael Morais – O governador Beto Richa (PSDB) recebeu um “não” da presidenta Dilma Rousseff,  dia 12 último, durante audiência realizada em Brasília, quando pediu para renovar as concessões das rodovias federais pedagiadas no Paraná.

Richa pediu para renovar a concessão do pedágio para mais 25 anos no estado porque, segundo ele, há desequilíbrio nos contratos. Dilma, no entanto, torceu o nariz e não permitiu que o assunto prosperasse na conversa de ontem.

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), não participou do encontro realizado no Palácio do Planalto, mas, provavelmente, sondou pela fresta da fechadura o diálogo da chefa com seu adversário no Paraná.

Beto Richa não quer ver a ministra nem pintada de ouro. Tanto é que pediu uma “linha direta” com a presidenta Dilma, sem necessidade de “filtro” dos três ministros paranaenses.

É bom frisar que o governador tucano não recebeu apenas “não”. Houve também um “sim” ao pedido de prorrogação do Programa de Apoio ao Investimento de Estados e do Distrito Federal (Proinveste), que prevê o empréstimo de R$ 817 milhões para o Paraná.

Dos 2,5 mil quilômetros de rodovias que foram entregues à iniciativa privada no final da década de 90 durante os governos de Jaime Lerner e Fernando Henrique Cardoso. Desses, cerca de 1.865 são trechos federais e 635 quilômetros correspondem a vias estaduais.

A malha total no Paraná é de 5,6 mil quilômetros de rodovias federais e estaduais, sendo 3,8 mil km de federais e 1,8 mil de trechos estaduais.

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “Cobrar pedágio em estrada construída com o dinheiro do povo é roubo. Corrupção legalizada. O negócio mais lucrativo que existe. Você entra com nenhum tostão e ganha um milhão a cada mês ou dia”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s