Nepotismo eleitoral de Bolsonaro, mulher e filhos. “Com que moral vão me cassar aqui?”

Bolsonaro e a covardia de 24 partidos

 

bolsonaro estupro

por Juca Kfouri

Por enquanto apenas quatro partidos — PT, PCdoB, PSOL e PSB — entraram com pedido à Comissão da Ética da Câmara de Deputados para que seja cassado o mandato do deputado federal do PP-RJ, Jair Bolsonaro, que afirmou que só “não estupraria” a deputada, e ex-ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário (PT-RS) “porque ela não merecia”.

Será que PMDB, PSDB, DEM, PDT, PSD, PTB, PPS, o próprio PP de Bolsonaro, entre mais outros 16 partidos representados no Congresso Nacional, acham que o deputado não feriu o decoro parlamentar?

Será que não temem o julgamento da História nem mesmo depois do relatório da Comissão Nacional da Verdade com 377 nomes responsáveis pela covardia da tortura, contra crianças, inclusive, e estupros, durante a ditadura?

 

Bolsonaro é suplente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados

 

Juca Kfouri esquece que Bolsonaro, proclamou em 2019: “Estou me lixando para essas representações. Não vou ficar quieto. Falou mentira aqui, o bicho vai pegar. Eles não dizem que lutaram para ter liberdade de expressão? Por que agora querem cassar a minha. Com que moral vão me cassar aqui neste Congresso?”

Jair Messias Bolsonaro (Campinas, 21 de março de 1955) é um militar da reserva. De orientação política de direita, cumpre sua sexta legislatura na Câmara dos Deputados, eleito pelo Partido Progressista.

Aliou-se com Aécio Neves e Aloysio Nunes, do PSDB, para pedir o impeachment de Dilma Rousseff em cinco fracassadas marchas em São Paulo, realizadas depois do segundo turno.

Já foi filiado ao Partido Democrata Cristão, Partido Progressista Renovador, Partido Progressista Brasileiro, Partido Trabalhista Brasileiro, Partido da Frente Liberal e atualmente faz parte do Partido Progressista. Dificilmente esses partidos pedirão a cabeça de Bolsonaro, que ganhou notoriedade nacional após dar declarações sobre questões polêmicas, como homofobia, preconceito racial, sexismo, cotas raciais e defesa da tortura e do regime militar, sendo classificado por jornalistas e órgãos de imprensa como representante da extrema-direita.

É titular da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e da de Segurança Pública Combate ao Crime Organizado. Parece ironia, piada, humor negro: é suplente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

 

Rio, curral eleitoral. Nepotismo de Bolsonaro

Aroeira
Aroeira

 

Foi casado com Rogéria Bolsonaro, a quem ajudou a eleger vereadora da capital fluminense em 1992 e 1996, com que teve três filhos: Flávio Bolsonaro — deputado estadual fluminense —, Carlos Bolsonaro — assim como o pai e mãe, vereador da cidade do Rio de Janeiro —, e Eduardo. De seu segundo casamento com Ana Cristina, teve Renan.

Em 1988 entrou na vida publica elegendo-se vereador da cidade do Rio de Janeiro pelo Partido Democrata Cristão. Nas eleições de 1990, elegeu-se deputado federal pelo mesmo partido. Seguiriam-se outros quatro mandatos seguidos. Foi filiado ao PPR (1993-95), PPB (1995-2003), PTB (2003-2005), PFL, hoje DEM (2005), e desde 2005 integra o PP. (Fonte Wikipédia)

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “Nepotismo eleitoral de Bolsonaro, mulher e filhos. “Com que moral vão me cassar aqui?””

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s