São Paulo sem água e sem governo. Itu protesta nas ruas

Reservatórios chegam a apontar 2% de água em Itu (Foto:TV TEM)
Reservatórios chegam a apontar 2% de água em Itu (Foto:TV TEM)
"Itu" procede do termo tupi Utu-Guaçu (cachoeira grande). Eduardo de Almeida Navarro diz que o topônimo procede do tupi ytu (cachoeira). O que resta de água é resto. Foto: TV Tem
Itu. Do tupi Utu-Guaçu (cachoeira grande). Eduardo de Almeida Navarro diz que o topônimo procede do tupi ytu (cachoeira). O que resta de água é resto. Foto: TV Tem

Moradores do bairro Cidade Nova, em Itu (SP), interditaram as duas pistas da Rodovia Waldomiro Correia de Camargo (SP-79), na altura do quilômetro 61, em protesto contra a falta d’ água. Este é a quarta manifestação em menos de 20 dias na cidade.

Bombas contra o povo de gás lacrimogêneo.
Maldade de Alckmin (PSDB), bombas de gás lacrimogêneo contra o povo. Água não tem não. 

Segundo a dona de casa Vanessa Santos, a manifestação começou depois que os moradores do bairro se revoltaram com a água que chegou nas torneiras neste domingo. “Estamos sem água em casa desde o começo do mês e quando chega fica só por uma hora e meia nas torneiras. Não aguentamos mais isso e depois de uma reunião resolvemos protestar”, afirma.

Algumas pessoas afirmam estar sem água há mais de um mês. E o governador Geraldo Alckmin diz que tem água de sobra.

Os moradores fecharam as duas pistas e queimaram pneus e colchões em sinal de protesto. Viaturas do Corpo de Bombeiros de Sorocaba e Itu foram acionadas para controlar as chamas.

Além do bairro Cidade Nova, moradores do Portal do Éden, bairro ao lado que não fazia parte do racionamento e que agora também sofre com os transtornos da falta d’água, também fizeram uma manifestação durante a noite. Um ônibus intermunicipal foi queimado.

Moradores interditam rodovia em Itu (Foto: Rogério Frederico Barcelli
Moradores interditam rodovia em Itu (Foto: Rogério Frederico Barcelli
Ônibus é queimado durante protesto. Foto: Diogo Nascimento
Ônibus é queimado durante protesto. Foto: Diogo Nascimento
Foto: Everton Mariano
Foto: Everton Mariano
Polícia de Alckmin não perde prostesto.  Foto: Vanessa Santos
Polícia de Alckmin não perde prostesto. Foto: Vanessa Santos

Protestos estão acontecendo noutras cidades, mas a imprensa esconde.

“A gente liga para a Águas de Itu, mas fica cerca de 30 minutos no telefone só ouvindo música e ninguém atende”, afirma o aposentado José Gomes. Isso é desgoverno. Sacanagem muita com o povo.

Diversas viaturas da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária de Itu e das cidades da região foram acionadas para controlar a manifestação. Polícia nunca faltou em São Paulo. Na polícia militar, Alckmin comanda cerca de cem mil soldados estaduais, a terceira maior força armada da América do Sul. Tem mais de 50 mil policiais civis e contrata capangas de empresas de segurança. Veja vídeo de jornalista atingido por bala de borracha.  Água que é bem bão, não tem não.

 

ÁGUA EM SÃO PAULO DO PSDB DE ALCKMIN REELEITO

 

Payam Boromand
Payam Boromand

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “São Paulo sem água e sem governo. Itu protesta nas ruas”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s