Pernambuco. Armando mostra como sua trajetória difere da de Câmara

Em resposta ao candidato Paulo Câmara, que questionou o currículo de Armando Monteiro no setor público, o candidato a governador de “Pernambuco Vai Mais Longe” apresentou sua trajetória política e sua experiência como administrador.

Respondeu Armando: “Esclareço que um tecnocrata não é um líder político. Você fez carreira como burocrata, mas nunca experimentou a liderança. Você não tem perfil para liderar. Sua candidata, Marina Silva, diz que desconfia dos candidatos gerentes. Precisamos de governantes, com visão estratégica, conhecimento e prática ”, respondeu Armando, que tem a reconhecida vivência de  mandatos legislativos, três como deputado federal, um como senador; e executivos, à frente da indústria nacional.

“Enquanto presidente do Sistema S, administrei mais de R$ 15 bilhões, e fui eleito e reeleito nessa entidade. Foi assim também na CNI, e tive toda minha vida pública marcada pela via da eleição, com votações crescentes. Inclusive, com apoio do seu partido, o PSB. Eu tive mais de 3 milhões de votos dos pernambucanos para cumprir um papel no Senado. Minha história e trajetória política não foram feitas de maneira superficial. O que nosso Estado precisa é de liderança, com sentido de direção”, disparou Armando Monteiro.

“Você foi escolhido de forma unipessoal. Não foi você que reuniu os partidos que estão na sua campanha, foi Eduardo. Se você acha que o setor privado é suficiente para julgar alguém, você não tem experiência nesse aspecto. A atividade empresarial é de risco, ou ganha ou perde. Mas quero lembrar que a dignidade da minha família foi lembrada quando Arraes destacou o apoio, e convidou meu pai, para disputar o Senado, pela Frente Popular, em 1994”, lembrou Armando Monteiro.

sistema-s

O sistema S é conhecido por poucos, pelo menos com esta definição. Muitos já estudaram em alguma de suas instituições ou foram beneficiados com seus programas e ações, mas talvez não conheça como um todo.

O sistema S é formado por organizações e instituições todas referentes ao setor produtivo, tais como indústrias, comércio, agricultura, transporte e cooperativas que tem como objetivo, melhorar e promover o bem estar de seus funcionários, na saúde e no lazer, por exemplo, como também a disponibilizar uma boa educação profissional. As instituições do Sistema S não são públicas, mas recebem subsídios do governo.

Cada uma delas tem dado contribuições importantes nas suas respectivas áreas de atuação. Cursos gratuitos com bolsas de estudos, promoção social, apoio ao desenvolvimento das pequenas empresas, treinamentos, entre outros. Tudo isso de forma muito próxima da sociedade. Conheça

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s