Qual estado lidera o ranking do tráfico de pessoas? Em 2012, era Goiás

por Guilherme Semerene

original_humana

O tráfico de pessoas para prostituição, pedofilia, órgãos e trabalho escravo é a terceira maior fonte de renda ilegal no mundo. O Brasil lidera o ranking dos maiores exportadores de mulheres, com 85 mil vítimas por ano e o estado de Goiás é o campeão nacional no tráfico de pessoas.

A secretária municipal de defesa social Adriana Accorsi explica que em decorrência das vulnerabilidades sociais, econômicas e educacionais, as vítimas se atraem pela possibilidade de uma vida melhor e abrem mão de sua liberdade em nome desse objetivo. “Por vergonha das vítimas, medo das represálias e até mesmo porque muitas famílias concordam e favorecem a ida de homens e mulheres para se prostituirem em busca de uma vida melhor somos notificados em poucas oportunidades.”

Segundo pesquisa realizada, entre 2008 e 2010, pela Secretaria Municipal Especial de Políticas para as Mulheres de Goiânia, o município goiano com o número mais expressivo dentro da rota do tráfico de pessoas é Uruaçu, seguido por Trindade, Silvânia, Rianápolis, Paraúna e Nerópolis.

Bahia, Pernambuco e Mato Grosso do Sul

Informa Conjuntura Online, em outubro de 2012: Mato Grosso do Sul é um dos estados com maiores incidências de casos de tráfico de pessoas. A constatação se deu a partir de dados divulgados ontem, em Brasília, como diagnóstico preliminar sobre o tráfico de pessoas no Brasil. O levantamento é da Secretaria Nacional de Justiça – do Ministério da Justiça – e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc).

Os dados apontam, ainda, que em seis anos, cerca de 500 brasileiros foram vítimas do tráfico de pessoas. Desse total, 337 casos, que representam mais de 70% dos registros feitos de 2005 a 2011, referem-se especificamente ao tráfico para exploração sexual.

De acordo com as informações, suspeita-se que esse tipo de crime movimente perto de US$ 7 bilhões por ano. O levantamento da secretaria nacional revela que a maioria dos casos foi registrada nos estados de Pernambuco, Bahia e Mato Grosso do Sul.

[Não acredito nestas estatísticas. Como se explica o gentílico brasileira ser sinônimo de prostituta?]

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s