– “Vai ter Coca”, Aécio Neves

Não sei se a frase arriba é uma pergunta ou afirmação. Mas coca sempre teve. Tanto que o jornalista que denunciou se encontra preso em Minas Gerais, e só vai ser solto depois das eleições.

Enquanto Marco Aurélio Carone continua preso incomunicável (há informações sobre tortura e ameaças de morte), os traficantes do helicóptero do pó foram apressadamente postos em liberdade.

Porque trabalhou no empastelado e censurado Novo Jornal, que apresentou as denúncias contra Aécio Neves, o jornalista Geraldo Elísio teve a residência invadida e roubada pela arbitrária polícia mineira.

Clique aqui e confira o fechamento do Novo Jornal. Prova que não existe liberdade de Imprensa no Brasil. Jornal que falar a verdade no País da Geral, a polícia tucana fecha, e bota em cana os jornalistas.

Tente novamente: http://www.novojornal.com

Marco Aurélio Carone continua preso. Só vai ser solto depois das eleições.
Marco Aurélio Carone continua preso. Só vai ser solto depois das eleições.

 

 

Eta Brasil safado. De “brilhantes” e “empoados” homens públicos, que pretendem apagar o passado com o stalking policial, o assédio judicial e ameaças consumadas de desemprego de jornalistas.

Escreve Lauro Jardim, na revista Veja: “A equipe de comunicação social de Eduardo Campos vem se especializando em trapalhadas, enquanto a candidatura do ex-governador segue patinando na casa dos 7% das intenções de voto.

Depois de publicar no Instagram uma foto de Campos rindo dentro de um jatinho no dia em que a greve da polícia convulsionava o Recife, hoje a turma desceu ao último nível da baixaria.

O coordenador de mídias sociais da campanha de Campos, Marco Bahé, publicou há pouco no Facebook uma frase insinuando que Aécio Neves é usuário de cocaína.

Diz Bahé no desastroso post:

– ‘Vai ter Coca’, Aécio Neves”.

Não é baixaria não. Ressalto o relato incompetente, frouxo.

O PSB de Eduardo Campos e o PT de Dilma Rousseff precisam ter a coragem de, pelo menos, indagar o motivo da prisão de um jornalista, que publicou provas estarrecedoras sobre a corrupção política e a vida degradante de políticos mineiros. Inclusive casos de assassinatos. Não importa a motivação do Carrone. O que se deve debater é o conteúdo, a veracidade dos documentos, e a liberdade de imprensa em Minas Gerais, terra que mata jornalistas.

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s