Senador Aloysio xinga e manda prender blogueiro

Blogueiro acusa Aloysio de envolvimento do cartel dos metrôs em São Paulo, que reage: ‘vai pra PQP’

Blogueiro abordou senador e questionou cartel
Blogueiro abordou senador e questionou cartel
Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome
Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome

 

por Heitor Mazzoco/ Diário da Região/ Rio Preto

 

O senador rio-pretense Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) considera ter sido “vítima” do blogueiro Rodrigo Pilha, ex-assessor de uma deputada do PT, que o teria provocado ao questionar suposto envolvimento no cartel dos metrôs em São Paulo. Após fazer o questionamento ao senador, Pilha foi xingado: “Vai pra puta que o pariu. Vou te meter o cacete”, disparou Aloysio, que depois deu ordem de prisão ao militante.

Em vídeo divulgado na internet, Grassi aborda Aloysio nas galerias do Congresso Federal e pergunta sobre a importância das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs).

Na sequência, pergunta o que levou o PSDB a arquivar 70 CPIs no governo de São Paulo. Aloysio disse que existem outros meios de investigação e encerra a entrevista. Pilha, então, fala sobre o suposto cartel de metrô e diz que o senador é suspeito. “Vá pra puta que pariu”, gritou o tucano, que ainda o chamou de “vagabundo”. Correndo, Pilha responde questionando o PSDB. “O que é isso? O senhor está querendo me agredir. Essa é a liberdade de imprensa do seu partido? Vai para a internet”, afirma.

O Diário entrou em contato com a assessoria de Aloysio solicitando uma entrevista, mas não obteve retorno. Por meio de nota em seu site oficial, o tucano disse que foi ofendido com grave injúria. “Fui vítima do ex-assessor da deputada do PT Erika Kokay (DF), Rodrigo Grassi. Sob o pretexto de me entrevistar a respeito de Comissões Parlamentares de Inquérito, ofendeu-me com uma grave injúria, uma acusação mentirosa e insuportável. Diante da ofensa, tentei segurá-lo até que a segurança do Senado acudisse”, disse.

Pelo microblog Twitter, Aloysio disse ainda que o vídeo postado por Grassi foi editado para prejudicá-lo. O ex-assessor ficou conhecido por ofender o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em um restaurante de Brasília.

O Diário procurou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), que informou que, até então, nenhuma medida seria tomada, por meio de assessoria. Nesta quarta-feira, 7, Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome, dizendo que assinou na esperança de que contratos da Alstom em outros estados, como Distrito Federal e Bahia, também seriam investigados.

 

As palavras do senador pornográfico correm pela internet
As palavras do senador pornofônico correm pela internet
VEJA CARICATURA DO SENADOR
VEJA CARICATURA DO SENADOR

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s