“A UPP é uma farsa, uma mentira”, disse mãe de dançarino da Globo torturado e morto pela polícia

Douglas Rafael da Silva Pereira, DG
Douglas Rafael da Silva Pereira, DG, residia no Morro Pavão, Pavãozinho. Moradores acusam policiais militares de o terem espancado por achar que ele era traficante.
O cadáver de DJ jogado nos fundos de uma creche
O cadáver de DG jogado nos fundos de uma
creche

A mãe de Douglas Rafael da Silva Pereira, 26, o dançarino “DG” do programa “Esquenta” da TV Globo, encontrado morto na terça-feira (22) em uma escola municipal no morro Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, afirmou na manhã desta quarta-feira (23) que tem certeza de que ele foi torturado por policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) instalada na comunidade e declarou que vai processar o Estado pela morte do filho.

“A UPP é uma farsa, uma mentira”, disse a enfermeira Maria de Fátima Silva, 56, enquanto esperava para prestar depoimento na 13ª DP (Copacabana). Maria de Fátima chegou à delegacia às 10h45 levando um documento obtido no IML (Instituto Médico Legal) na noite de terça, que aponta uma “hemorragia interna decorrente de laceração pulmonar decorrente de ferimento transfixante do tórax” como causa da morte. De acordo com o documento, Douglas foi vítima de uma “ação pérfuro-contundente”.

“Ele não morreu de queda, como disse a polícia. Foi alguma coisa pontiaguda. Eu fiquei com o corpo do meu filho até as 3h30 da madrugada e vi que ele tem um afundamento no crânio, um corte no supercílio e está com o nariz roxo. Eu acredito que mataram ele. Tenho certeza que ele foi torturado pelos policiais da UPP”, disse a enfermeira. De acordo com Maria de Fátima, a ex-namorada de Douglas, com quem ele teve uma filha, que tem 4 anos, viu o corpo do dançarino ainda na escola. “Ela contou que ele estava em posição de defesa. Tiraram fotos do local e tinha marcas de sangue na parede”, relatou. (Gustavo Maia/ UOL)

DOUGLAS FOI BALEADO!

E surge uma nova informação: Douglas Rafael da Silva, o DG, dançarino do programa ‘Esquenta’, foi sim baleado. O tiro entrou pelas costas.

Ontem, a Secretaria de Segurança do governo do estado, diante dos relatos de que Douglas teria sido morto por policiais, se apressou em dizer através de seu twitter que havia um laudo da Policia Civil que apontava para morte causada por queda.

TRISTE PROFECIA?

O rapaz bonito e bem humorado que protagoniza este curta-metragem se chama Douglas, mais conhecido como DG. Ele era dançarino do programa ‘Esquenta’ e foi encontrado morto ontem no Pavão-Pavãozinho, a mesma favela que serve de cenário para o filme. No vídeo, DG interpreta a si mesmo.

O desfecho do curta é trágico. Assista. (Deputado Chico Alencar)

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s