O LIXO DIÁRIO

por Talis Andrade

 

morte1

 

Toda manhã presencias

o lixo doméstico

acondicionado em plástico

 

Um dia teu corpo

não terá serventia

Teu corpo cansado

será ensacado

e jogado

na rua

 

Quem virá morar

na casa que foi tua

 

Tua alma vagará

pelas escuras vias

enquanto teu descartado

corpo apodrece

na rua

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s