Pistoleiros matam jornalista Pedro Palma no Rio de Janeiro

Pedro Palma, o terceiro jornalista assassinado, em uma semana, no Rio de Janeiro
Pedro Palma, o terceiro jornalista assassinado, em uma semana, no Rio de Janeiro

“Queremos que o crime seja solucionado. O jornalista fala a verdade e acaba assassinado brutalmente”, afirmou o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Sul Fluminense, JC Moreira, sobre a morte do jornalista Pedro Palma, assassinado a tiros em Miguel Pereira, na noite de quinta-feira (13). De acordo com a Polícia Militar (PM), Pedro foi atingido por três disparos em frente à casa dele, na Rua Dona Carola, no distrito Governador Portela, e morreu na hora. Ainda segundo a PM, os disparos foram feitos por uma dupla que passou em uma moto.

Palma era proprietário do jornal “Panorama Regional”, que circula nas cidades de Miguel Pereira, Paty do Alferes, Vassouras, Mendes, Engenheiro Paulo de Frontin, Barra do Piraí, Piraí, Valença, Paracambi e Paraíba do Sul. O periódico vinha fazendo denúncias sobre irregularidades em prefeituras da região.

 A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) expressou a profunda repulsa pelo assassinato, por pistoleiros do jornalista Pedro Palma, de 47 anos, assassinado em frente a sua casa enquanto esperava que sua filha abrisse a porta.Informa a SIP: Ele foi alvejado por dois homens em uma moto, divulgou o próprio jornal. O “Panorama Regional”, fundado em 1994, vinha denunciando irregularidades na Prefeitura de Miguel Pereira, a pouco mais de 100 quilômetros da capital.

Esta semana a SIP lamentou a morte de outro jornalista brasileiro, o cinegrafista da “Band” Santiago Andrade, que morreu dias depois de ser atingido na cabeça por um rojão enquanto cobria uma manifestação no Rio de Janeiro.

Segundo números da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI), ano passado 114 jornalistas ficaram feridos na coberturas de protestos, e já três neste ano .

O presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação, Claudio Paolillo, insistiu na urgência de o governo do estado e o federal adotem medidas para garantir a proteção dos jornalistas.

Paolillo, diretor do semanário uruguaio “Busca”, lembrou que a SIP tem promovido a aprovação de projetos de lei e emendas à Constituição para que os crimes contra jornalistas sejam transferidos à jurisdição federal, para dar maior eficiência e transparência na administração da justiça.

Crime aconteceu na porta da casa do jornalista, no distrito Governador Portela (Foto: Cibele Moreira/TV Rio Sul)
Crime aconteceu na porta da casa do jornalista,
no distrito Governador Portela
(Foto: Cibele Moreira/TV Rio Sul)

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “Pistoleiros matam jornalista Pedro Palma no Rio de Janeiro”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s