Poema para Zhang Yimou

Por Cida Pedrosa
cores
a lâmina corta a água
e a cor se faz
.
o vermelho se apresenta
na face a dor
o ódio em si encerra
.
em vestes e passos
a honra anda
tudo é som solidão sentidos
.
o laranja se apresenta
as folhas voam
o outono em si vagueia
.
leve como a tarde
a dor corta a espada
tudo é vale voz veia
.
o azul se apresenta
e começa a redenção
certeza de destino cumprido
.
a lâmina é certa
o saber é náufrago
tudo é leve livre ligeiro
.
o verde se apresenta
em luta e glória
castelo e espadas
mãos mandarim
.
cetins caem sobre facas
som de almas
corte
e em nome do amor
vence o orgulho
.
haraquiri cumprido
qual fio varando a água
qual faca varando veias
e o fim se faz transparente
.
os heróis morrem em um único gume
.
a lágrima se prende à água
a água se prende à lâmina
os olhos respiram chama
.
e a morte
a morte é uma metáfora
e se esvai sem cor
 
—-
Seleta de Pedro J. Bondaczuk

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s