Alckmin preparou armadilha para Dilma.

br_estado_spaulo. protesto contra polícia

Geraldo Alckmin não precisa de soldados federais. Comanda uma polícia civil com 40.663 integrantes (dados constantes nas Leis Complementares nº 1.063 e 1.064, de 13/11/2008), e uma polícia militar com um efetivo de 93 986 gendarmes, além dos serviços terceirizados de empresas de segurança e outros.

Que fique claro que, exclusivamente, a  polícia militar de São Paulo é a maior do Brasil, e maior que as forças armadas de vários países, em um estado que tem o maior tribunal do mundo.

O efetivo máximo já utilizado pela Força Nacional de Segurança Pública foi de 1 500 homens. Isso não representa nada para São Paulo. Tanto que o governador Alckmin recusou a ajuda da Força Nacional durante os ataques às forças de segurança estaduais ocorridos em 2006.

A Força Nacional é formada por policiais federais e soldados estaduais, inclusive da Polícia Militar de São Paulo.

Para que diabo Alckmin quer, agora, a presença do governo federal na luta contra a “facção criminosa” – conforme crimininalização dos coronéis Rossi – que vem realizando protestos de rua?

Simples. Dividir com Dilma os malefícios de um terrorismo estatal que prende e arrebenta, notadamente, estudantes e professores, e mata favelados.

Quantos presos políticos existem hoje em São Paulo? Fica a pergunta.

Polícia bem armada

Cada região do Estado conta com pelo menos um helicóptero da polícia.  São 29 helicópteros – sendo 25 Águia e quatro Pelicanos – e quatro aviões. Essa estrutura permite que 90% da população do Estado estejam ao alcance de um dos helicópteros em no máximo 15 minutos.

São Paulo conta com 25 helicópteros
São Paulo conta com 25 helicópteros

A frota total ativa da Polícia de São Paulo também teve um incremento expressivo, passando de 14.558 em 1995 para 24.100 viaturas em 2012. Isso equivale a uma média superior a 500 novas viaturas para a polícia por ano, mais de uma viatura por dia.

A partir de 2012,  todas as 11 mil viaturas da PM que patrulham bairros da capital e da região metropolitana estão equipadas com tablets. Assim, os policiais podem consultar os bancos de dados criminais, fazer registros de boletins de ocorrências, anotações e relatórios, além de enviar informações ao comando.

11 mil viaturas equipadas com tablets
11 mil viaturas equipadas com tablets

Câmera inteligente

O patrulhamento policial conta também com a tecnologia de videomonitoramento. São dois tipos de equipamento, o fixo e o móvel. O primeiro, denominado “inteligente”, foca em uma direção específica e seu software está programado para emitir um sinal sonoro à central quando houver algum incidente. O segundo mostra todos os detalhes desse incidente, por funcionar em ângulo 360 graus.

Assim, uma câmera fixa, instalada em frente a uma agência de banco, por exemplo, “avisará” quando houver qualquer movimento anormal entre as pessoas, de acordo com sua programação. Outro exemplo é nos estádios de futebol: perto da câmera fixa, há uma móvel, que mostra todos os detalhes de um incidente. Tudo isso é observado pelo operador no Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), que rapidamente solicita o envio de uma viatura ao local.

São 338 câmeras de segurança espalhadas na capital.

Infocrim

O foco em inteligência policial tem como destaque o Infocrim, um sistema de mapeamento criminal que funciona em conjunto com o Registro Digital de Ocorrência (RDO) e que está presente nos 645 municípios do Estado.

O RDO padronizou os boletins de ocorrência elaborados nas unidades policiais, que são feitos em formato digital e armazenados em bancos de dados, podendo ainda ser consultados por outros órgãos policiais. O Infocrim analisa os dados armazenados nesse banco e cria um mapa da criminalidade. Com o mapa, é possível identificar os pontos de maior incidência criminal separados por cidades, bairros, ruas e também por dias e horários. Esse material permite que a Polícia desenvolva o Plano de Policiamento Inteligente (PPI), definindo o roteiro de cada viatura de acordo com a necessidade específica do local.

Apesar dessa tecnologia, o coronel Rossi prefere ir para a rua anotar RG de manifestantes.

Armas químicas

sp h3

sp h2

Informa o G1: Três meses após os primeiros confrontos nas manifestações de junho e um dia depois de o governo do estado anunciar medidas mais duras contra vandalismo, a Polícia Militar de São Paulo anunciou a compra de mais munições químicas.

No documento, não foi detalhado o motivo da aquisição do produto, nem sua quantidade e custo. O pedido foi feito pelo Centro de Suprimento e Manutenção de Armamento e Munição da PM. Questionada pelo G1, a assessoria de imprensa da corporação informou que não poderia responder aos questionamentos da equipe de reportagem por questão “estratégica”.

“A Polícia Militar esclarece que informações referentes a aquisição, distribuição e emprego de material bélico são de natureza eminentemente estratégica, restringindo-se exclusivamente ao âmbito das forças de segurança, o que não nos exime, contudo, da devida prestação de contas aos respectivos órgãos governamentais de auditoria”, informa a nota divulgada por e-mail pela corporação.

A informação do ‘aditamento’, que significa uma espécie de ‘acréscimo, foi publicada um dia após o anúncio feito pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) estadual de que a PM voltará a usar balas de borracha em protestos. Os projéteis estavam proibidos pelo governo paulista desde junho, quando pessoas ficaram feridas nos atos.

O endurecimento contra vandalismo nas manifestações passa ainda por uma força-tarefa, que reunirá promotores, delegados e policiais militares. O objetivo é identificar, atuar e prender envolvidos em ações de dano ao patrimônio. Os alvos são integrantes dos movimentos Black Bloc e Anonymous. Eles também poderão responder por formação de quadrilha. [E por pertencer a uma facção criminosa tipo PCC].

sp h

sp hoje

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s