Menino Marcelo um estudioso de criminalismo

Sabia tudo sobre os crimes mais famosos. Esta a conclusão última da polícia de São Paulo sobre o menino de 13 anos que matou a família com quatro certeiros tiros.

Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini planejou as mortes dos pais policiais e da avó e tia avó, não se sabe com que idade.

Levou um tempinho. Para realizar a chacina. Que praticou tiro ao alvo, aprendeu a dirigir automóvel e a dopar: a escolha do medicamento e da medida precisa para adormecer,  uma dosagem não fatal, para que todos familiares fossem eliminados com certeiros tiros. Para cada vítima, uma única bala. Estudou o local de estacionar carros, fora do alcance das câmeras de vigilância. E a arte de representação do garoto bom aluno e comportado. O “queridinho” dos pais, da médica que lhe tratava de uma doença terminal, dos professores e pais de alunos (um deles lhe deu carona no dia da chacina, que Marcelo esqueceu que tinha ido de carro, como esqueceu as balas do revólver que iria matar a diretora da escola).

Agora parece mais um genial Marcelo estudioso de crimes famosos. A excelência criminalista do garoto de 13 anos derruba as teses do coronel Wagner Dimas, do deputado major Olímpio e do professor George Sanguinetti.

Publica o jornal “O Dia”, em 7 de agosto:

O “Daily Mail”, da Inglaterra, (…) lembrou um caso parecido que aconteceu em Nova York, em 1974, quando Ronald DeFeo Jr, de 23 anos, usou um rifle para assassinar seus pais, Ronald e Louise, e irmãos Marc, John Matthew, Dawn e Allison. DeFeo foi condenado há 150 anos de prisão e cumpre pena num presídio de segurança máxima em Nova York. Confira a notícia

Em 9 de agosto, dois dias depois: “47 Notícias” publica:  Marcelo (…) fez uma postagem em rede social, no ano passado, em que citava o massacre de Amityville. O caso aconteceu em 1974, nos Estados Unidos. Um jovem de 23 anos matou os pais, dois irmãos (de 9 e 12 anos) e as irmãs (de 13 e 18 anos).

Leia o furo. Marcelo teria colocada uma foto da escada da casa. Sem nenhum comentário e nenhum cadáver.

O “Daily Mail” e “47 notícias” citam o mesmo massacre.

Também é curioso que Marcelo tenha começado suas
pesquisas sobre crimes aos 12 anos (no ano passado).

Ronald Joseph (“Butch”) DeFeo Jr., o assassino, não era nenhuma criança. Nasceu em 1951, e praticou os crimes em 1974. Conheça o caso 

Henry Lee Lucas, teve uma vida familiar marcada pela violência
Henry Lee Lucas teve uma vida familiar marcada pela violência
 

sangue

Ensanguentada família de Henry Lee Lucas
Ensanguentada família de Henry Lee Lucas
Marcelo filmado pela Câmara de vigilância
Marcelo filmado pela Câmara de vigilância
Pai de Marcelo deitado, Marcelo e mãe ajoelhados. Compare as duas chacinas
O pai deitado, a mãe e Marcelo ajoelhados. Compare as duas chacinas

A trágica vida de Henry

 
 
 
 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s