Programa Mais Médicos fortalece a saúde pública contra a privatização da medicina

Publica o R7 Notícias:

Contrário à Medida Provisória que institui o programa Mais Médicos, o CFM (Conselho Federal de Medicina) vai iniciar um empreitada contra a medida, apelando para a população, tentando convencê-la de que a ação é negativa.

— Vamos lutar, inclusive esclarecendo a população que se trata de uma farsa, que ela é apenas um engodo porque não faltam médicos no Brasil”, afirmou o presidente do conselho, Roberto D’Ávila.

Segundo D’Ávila, a conscientização dos médicos se dará por meio de panfletos que serão entregues a pacientes e também de orientação boca a boca nos consultórios e hospitais. Para o presidente do CFM, a MP é “improvisada, eleitoreira, imediatista e populista” e atende a “interesses que serão consolidados em 2014”.

— A cada paciente que atendermos, vamos entregar um folheto, vamos orientar, dizer que não é assim que se faz saúde, que isso é fruto apenas de uma maquiagem, ilusionismo para atender interesses que serão consolidados – não espero que aconteça isso – mas serão consolidados em 2014.

 [Bom. Só assim aumenta o tempo da consulta médica que, costumeiramente, não passa dos cinco minutos. Tem médico que nem olha o paciente, um intocável. Intocáveis eram os portadores de certas doenças consideradas heréticas (os leprosos, os loucos, os epilépticos); pessoas em estado de impureza (por exemplo, as mulheres menstruadas); e trabalhadores de profissões malditas (os carrascos, os coveiros).
Faltam médicos em pequenas cidades brasileiras. Outras têm médico de passagem. Médico que passa a manhã numa pequena cidade do interior; a tarde, noutra; e dorme na capital, onde reside. Tem todo tipo de médico caxeiro-viajante. Médico que mora na cidade grande, com uma rapidinha no emprego público em um posto de saúde municipal e/ou hospital do Estado; outra, em uma sala de espera cheia em um hospital privado, que ganha por produtividade (quanto mais consultas, mais trocados); e, para terminar a jornada, as consultas do consultório particular, para manter a tradição de ser um profissional liberal.
No mais, o brasileiro leva seis meses de espera para uma consulta e, no dia marcado, numa sala superlotada, aguarda três, quatro horas para ser atendido. Muitas vezes fica em pé no consultório, posto de saúde ou hospital. Espera meses e horas para uma consulta de menos de cinco minutos.
O médico faz a clássica pergunta cretina: – Que lhe trouxe aqui? O trouxa responde, e o bata branca passa uma bateria de exames. Isso significa: mais filas para marcar os exames, mais tempo de espera, e rezar para que morte não chegue antes da “volta”, para ser medicado.
Isso acontece nas filas do SUS e dos privados planos de saúde cada vez mais caros. Principalmente para os velhos, os idosos, os anciãos.
O programa Mais Médicos significa a melhoria da saúde pública. Contra o programa estão os engajados na privatização, que transforma o médico em um empregado das multinacionais].
maismedicos

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s