Ninguém vai preso no vandalismo de teatro

 

BRA_NOTA vandalosTodos são atléticos infiltrados da polícia ou de algum serviço secreto nacional ou estrangeiro

PELOS CORPOS ATLÉTICOS, SÃO LEGIONÁRIOS QUE TIVERAM TREINAMENTO FÍSICO MILITAR (TFM)

O TFM é caracterizado por atividades desportivas comuns como corridas, natação e esportes coletivos, e por atividades físicas específicas como pista de treinamento de circuito, ginástica com toros e provas do pentatlo militar. Um dos objetivos do TFM, além do aprimoramento físico corporal, é desenvolver atributos de ações coletivas e individuais como espírito de corpo, persistência e tenacidade. É um treinamento caro. Milhões de dólares são investidos neste treinamento.

NÃO SÃO ESTUDANTES. SÃO HALTEROFILISTAS

Treinados no arranco, no arremesso, no desenvolvimento ou prensa militar, são praticantes de atividades que envolvem o uso de halteres, como o fisiculturismo e a musculação. Compare as estampas desses gorilas, desses gladiadores, com os corpos dos estudantes carregadores de livros. Ser magra faz parte do padrão moderno de beleza feminina.

FINALIDADE DO ATAQUE: PROMOVER O VANDALISMO DE TEATRO

O importante da missão é ser fotografado e filmado. Para as capas dos jornais conservadores. Para os jornais televisivos repetirem as cenas exaustivamente.

Toda essa propaganda visa amedrontar o povo. Para que não participe de protestos sociais, reivindicando o fim da servidão e da colonização.

RECRUTAMENTO DOS INFILTRADOS E FINANCIADORES

Os infiltrados podem ser policiais disfarçados em civis, para justificar o terrorismo estatal: O prende e arrebenta da polícia. Como desculpa para as cacetadas nos frágeis estudantes (garotos e garotas), e para os tiros de balas de borracha, de balas de festim. E o uso de bombas de gás lacrimogêneo e de canhões sônicos e outras armas letais.

Os infiltrados podem ser parte das milícias, das forças paramilitares, dos serviços secretos de “inteligência”, ou de informações estratégicas. Das legiões estrangeiras. Todos traidores da pátria e/ou espiões de diferentes bandeiras.

É tudo gente paga. Bem paga. A polícia não prende os vândalos profissionais nem os financiadores, os que bancam o jogo de quebrar a porta do Itamarati, a porta da Prefeitura de São Paulo, a porta do Palácio do governador do Espírito Santo. É tudo combinado. Faz parte de um jogo. Um jogo de cartas marcadas. Um jogo ainda bem misterioso. Um jogo bem planejado, que essa gente lá de cima não faz nada de graça.

 

infiltrado polícia

 

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

2 comentários em “Ninguém vai preso no vandalismo de teatro”

  1. a dúvida, quanto aos ‘black bloc/rj”. claro está que uns são ‘adestrados’, quanto aos outros, é a molecada anarquista pra ajudar na queda da bastilha.não seriam estudantes anarquistas?. seriam da extrema direita segundo o governo?

  2. A polícia fotografa e filma. E não faz o principal: prender os vândalos. Não se trata de um prédio qualquer. É a sede do Governo do Estado do Espírito Santo. Um prédio que tem uma guarda palaciana permanente. Além do gabinete do Chefe da Casa Militar do governador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s