Pernambucaníada

por Marcos Cordeiro

(trechos)

Surgidouro das Naus

Entre os recifes e os ventos
a ostra tem-se guardado.
De coral e alumbramento
construiu o seu sobrado,
com beirais de brancas brumas
e varandas de espumas.

Lamarão

A si mesma, entre dois rios,
a cidade se entrelaça,
qual ostra dos mares frios
de madrepérola se abraça.
Monja reclusa na cela
que a bem poucos se revela.

Arrecife dos Navios

Recife tem o seu nome
arrancado do seu peito,
Pernambuco é sobrenome
esculpido dos seus feitos
de guerreiros destemidos,
de guerrilheiros nascidos.

Trincheiras do Novo Mundo

Entre as folhagens do Mangue
o homem traçou uma bela
cidade feita do sangue
do herói que se rebela.
Dispôs Recife ancorado
no sangue e no mar salgado.

Você lê os poemas in

a_Capa_Roman_al

O Romançal Pernambuco precisa ser leitura obrigatória nas escolas municipais e estaduais.

Pernambuco possui uma estadual e 186 secretarias municipais de Educação. Pra quê? A maioria para não fazer nada.

Estas secretarias e mais as secretarias de Turismo e as secretarias de Cultura são comedores de verbas públicas.

Dinheiro sobra para financiar shows de artistas da Bahia e da tv Globo. O que existe de brega.  Uma puta máfia de prefeitos e cantores ladrões, intermediados pelos promotores de eventos, proprietários de empresas para passar notas frias e superfaturadas.

No Romançal, o aprendizado de nossa História. Do que seja pernambucanidade, nacionalismo, independência e civismo.

Palavrinhas hoje – diria Álvaro Lins – “prostituídas”.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s