Violência contra idoso aumentou 200%

PAI NOSSO QUE ESTÁ NO CÉU
PAI NOSSO QUE ESTÁ NO CÉU

Entre os atendimentos a idosos, os principais tipos de violação denunciados no ano passado foram 68,7% por negligência, 59,3% de violência psicológica, 40,1% de abuso financeiro, econômico e violência patrimonial, e 34% de violência física

Para apressar a morte dos velhos, quem tem 60 anos, sem emprego e sem dinheiro, fica esperando os 65 anos, quando é idoso, para entrar com um pedido de aposentadoria por idade, para receber miseráveis 330 dólares.

Depois dos 45 anos é difícil arranjar emprego no Brasil. A violência contra os idosos faz parte da cobrança de familiares que ofereceram hospedagem e alimentação antes e durante a velhice. É uma cobrança cruel. Tão danosa quanto os despejos judiciários.

O PAI ETERNO E O ESPÍRITO SANTO
O PAI ETERNO E O ESPÍRITO SANTO

A Campanha de Enfrentamento à Violência Contra a População Idosa promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República foi lançada durante o encontro Nacional de Promotores, Defensores e Delegados. A campanha é uma parceria com o Ministério Público, Ministério da Justiça e órgãos que atuam na promoção dos direitos da pessoa idosa.

Segundo a ministra Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos), de janeiro a novembro de 2012, o Disque Direitos Humanos contabilizou um aumento em todos os módulos, considerando o mesmo período de 2011. “No nosso módulo sobre idosos tivemos um crescimento de aproximadamente 200%. Desde o ano de implantação (2011), identificamos abandono, negligência, violência psicológica, violência física, violência sexual e discriminações”, afirmou.

Entre os atendimentos a idosos, os principais tipos de violação denunciados no ano passado foram 68,7% por negligência, 59,3% de violência psicológica, 40,1% de abuso financeiro,econômico e violência patrimonial, e 34% de violência física.

O objetivo da campanha é constituir o apoio necessário para implementar ações governamentais de promoção e defesa dos direitos do idoso, ferramentas adequadas e medidas concretas para valorização da inclusão e independência. “Nós queremos formar uma rede para defender os direitos da população idosa, uma rede que possa trocar experiência, que possa buscar recursos específicos, que possa trabalhar para chegar mais perto da pessoa idosa.”

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s