Falta água engarrafada na cesta básica

Pela leitura da série de reportagens de Mauri König (vide tags), o Brasil deveria incluir a água engarrafada na cesta básica.

Para ONU, a água é alimento.

Informa a Wikipedia: Cesta básica é o nome dado a um conjunto formado por produtos utilizados por uma família durante um mês. Este conjunto, em geral, possui gêneros alimentícios, produtos de higiene pessoal e limpeza.

Não existe um consenso sobre quais produtos formam a cesta básica sendo que a lista de produtos inclusos pode variar de acordo com a finalidade para a qual é definida, ou de acordo com o distribuidor que a compõe. Há leis em alguns estados brasileiros que proporcionam isenção de impostos sobre produtos da cesta básica definida por cada um deles.

No Brasil, o DIEESE utiliza a Cesta Básica Nacional, ou Ração Essencial Mínima, composta de treze gêneros alimentícios com a finalidade de monitorar a evolução do preço deles através de pesquisas mensais em algumas capitais dos estados brasileiros. A quantidade dos gêneros na cesta varia conforme a região.

Os produtos desta cesta básica são (lista da Wikipédia):

Carne (enlatada), leite (em pó), feijão, arroz, batata, farinha, café (em pó), pão (francês ou de forma), açúcar, óleo (ou banha), manteiga, frutas (banana, maçã).

Manteiga nunca vi em nenhuma cesta. Nunca existe pão, e sim bolacha mofada. Maçã é exagero. É fruta importada. Tomate só se for enlatado.

Falta o fubá, o pão do índio. Hoje o milho é plantado nos latifúndios para ser exportado para os Estados Unidos fabricarem álcool.

Nos supermercados (as grandes redes são estrangeiras), o pacote da cesta básica fica sempre em baixo de alguma prateleira, e a maioria dos produtos com data vencida.

Antônia da Silva, de Canindé, equilibra-se com panela d´água na cabeça
Antônia da Silva, de Canindé, equilibra-se com panela d´água na cabeça

No Diario do Nordeste, Karoline Viana traça o mapa da seca no Ceará: Mesmo nos centros urbanos, onde há abastecimento, a situação não é melhor. Na sede de Parambu, quem pode compra água de caminhões que chegam carregados de Baixa do Poço, na divisa entre o Ceará e o Piauí. A dona de casa Francisca Gonçalves de Lima Leite diz que a água da torneira é muito salobra.

“Muita gente fica com dor nas urinas por causa dessa água. Eu mesma não tomo porque tenho gastrite, o jeito é comprar de fora”. Em Aiuaba, a água que sai das torneiras é ainda pior, com cheiro forte e coloração semelhante a de chá. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Aiuaba, Francisco Jailson de Castro Feitosa, parte do esgoto das comunidades de Barra e Bonomi cai no rio e chega no Açude Benguê, que abastece a cidade.

Na comunidade de Batoque, a 20km de Caridade, os 52 alunos da Escola João Beres dos Santos tomam a água salobra de um poço, enquanto logo ao lado há uma caixa d´água sem funcionar. “Terminaram a obra há quatro meses, mas o projeto não foi concluído. Agora os canos ressecaram porque deixaram expostos ao sol”, comenta o professor Antônio Iranildo Freitas Silva.

Já as crianças que estudam na Creche Criança Esperança, em Tejuçuoca, precisam trazer de casa a água para beber. Em cada garrafinha, etiquetada com o nome do aluno, há água de colorações diversas: barrenta, amarelada, quase limpa, meio suja. Há um dessalinizador, mas está quebrado.

A aposentada Margarida Freitas chora diante da falta de água em Catitu de Cima (Pacoti). Os poços estão secando e não há açude
A aposentada Margarida Freitas chora diante da falta de água em Catitu de Cima (Pacoti). Os poços estão secando e não há açude
Em Tauá, cacimbão é cavado %22no braço%22 pelos moradores da região. A areia retirada influencia na qualidade da água
Em Tauá, cacimbão é cavado %22no braço%22 pelos moradores da região. A areia retirada influencia na qualidade da água
Luís Venerando Sobrinho mostra a água, de aparência leitosa. O recurso é consumido depois de coado em um pano
Luís Venerando Sobrinho mostra a água, de aparência leitosa. O recurso é consumido depois de coado em um pano

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s