No Carnaval do poliamor beijo ainda é notícia. Daniela Mercury e Alinne Rosa

Cid Gomes: cachê alto
Cid Gomes: cachê alto

Separada do marido, a ‘rainha do axé’ está aproveitando a folia para beijar muito; somente em uma noite, foram três moças; no sábado, inclusive, Daniela Mercury causou a separação de uma de suas assessoras, Fabiana Crato, que namorava a jornalista Malu Verçosa.

 

Fabiana Crato e Malu Verçosa
Fabiana Crato e Malu Verçosa

Fabiana flagrou Malu de bem com Daniela, na maior pegação…

Mas a ‘rainha’ não parou por aí. No domingo, no desfile do bloco Crocodilo, Mercury recebeu como convidada especial Mari Antunes, nova vocalista da banda Babado Novo. Ela ficou encantada com a beleza da moça. Nova investida. “Mulher gostosa que sobe no meu trio não sai sem levar um beijo”.

Antes de tocar “Uma Noite e Meia”, música que lhe inspirou para beijar Alinne Rosa, do Cheiro de Amora, Daniela não se conteve. “É agora que te pego e agarro!”.

No mesmo domingo, ao passar pelos estúdios do Band Folia, a ‘rainha’ continuou a saga do beijo. A ‘vítima’ foi a apresentadora Patrícia Maldonado. “Vamos Pati fazer um ménage à trois eu, você e Mari”. Transcrito do 247

O importante nisso tudo a discriminação das feias nos camarotes carnavalescos. Onde rola tudo. Inclusive muita erva… do erário. Daniela mesmo é pivô de um escândalo no governo do Ceará.

O Ministério Público Federal no Ceará pediu na Justiça que o governador do Ceará, Cid Gomes, devolva o valor de R$ 650.000, referentes ao cachê pago à cantora Ivete Sangalo na inauguração do Hospital da Região Norte, em Sobral, em 18 de janeiro. O Ministério Público de Contas (MPC) havia questionado o valor pago e fez uma auditoria sobre o caso, que foi arquivada. Na primeira análise do órgão, não foram detectadas irregularidades. Cid Gomes chegou a se referir ao procurador do TCE que questionou o valor como “um garoto que deseja aparecer”. O governo do estado afirmou que não foi notificado sobre a ação e que não iria se pronunciar sobre o caso.

De acordo com o pedido do Ministério Público, o valor deve ser devolvido com recursos do próprio governador do Ceará, Cid Gomes. Para o autor da ação civil, o procurador da república Oscar Costa Filho, o pedido foi feito com base na “violação ao princípio da moralidade administrativa” e “desvio de finalidade”. Informou o G1.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s