Aposentados contribuíram durante toda a vida para a Previdência

Infelizes pais de Taro Aso, mortos ou vivos, conheciam ou conhecem o desprezo do filho: frio, desumano e lacaio do FMI e do capitalismo selvagem.

Existiram governos (e vão sempre existir) que matam os velhos, os aleijados, os cegos, os mudos, os loucos, os mendigos, os moradores de rua, os favelados, os párias, os miseráveis sem terra e sem teto. 

No caso do Japão, que tinha um imperador (ou tem?) divino, filho do Deus Sol, persiste o racismo, um brutal assassino. Tão cruel quanto um fanático religioso ou político.

Escreve Pedro do Coutto: A declaração incrivelmente infeliz do ministro das Finanças do Japão, Taro Aso, que considerou a morte dos idosos como uma forma de redução das despesas médicas e previdenciárias em seu país, tornou-se um fato tão forte, de repercussão mundial, que seu autor, no dia seguinte, primeiro afirmou ter sido mal interpretado. Em seguida, reconheceu que sua expressão pessoal foi inapropriada para a ocasião, um encontro do Conselho Nacional para reformas na seguridade social.

Eticamente não há como deixar de reconhecer o desastre causado pelo ministro, colidindo com o objetivo maior de qualquer sociedade ou governo, o de prolongar a vida humana e reduzir as desigualdades, a exemplo do que afirmou presidente Barack Obama no seu discurso de posse no segundo mandato. Mas não é essa a questão essencial. O fato é que os idosos, no Japão, Brasil e no mundo todo contribuiram a vida inteira para a seguridade social.

INPS previdência Sus social indignados

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s