O kafkiano caso Ricardo Antunes, o jornalista inimigo e de alta periculosidade para a ordem pública

A Tribuna da Imprensa vem transcrevendo diariamente, com o título Livre pensar é só pensar, parte da obra do escritor, novelista, poeta, jornalista, cronista, pintor, desenhista, chargista, tradutor e filósofo Millôr Fernandes.

A charge de hoje lembra Ricardo Antunes

002

Para não conceder um habeas corpus para Ricardo Antunes, justificou a justiça pernambucana:
Ser um jornalista desempregado, pobre de marré deci, um criminoso de alta periculosidade, e solto constitui uma ameaça para a ordem pública.
Não foi dito qual ato de terrorismo, de caos social, ele é capaz. Talvez o perigo de publicar uma notícia cotada em um milhão de dólares.
Por este preço, uma puta negociata. Que aconteceu na Prefeitura do Recife. Ou no Governo do Estado de Pernambuco.
Outro motivo: ser um jornalista inimigo…
Depois de Ricardo Antunes preso, o processo virou um romance – como previ. Começaram a aparecer outros processos novelescos tipo Ricardo Antunes agressor de mulheres. Outro de desacatar importante autoridade municipal.
A polícia continua mestra em fabricar processos. Todo delegado letrado, inteligente e criativo, um romancista nato.
Vou citar apenas um nome de destaque da literatura brasileira: Rubem Fonseca.

Dicionário Informal:

Kafkiano

Relativo ao poeta tcheco Franz Kafka, está atrelado à ideia do surreal, do absurdo; confusão entre o real e a ficção, estado hipotético de penumbra, de danação absoluta e de submissão ao imaginário. Crise de identidade entre o mundo e o indivíduo.

Depois de perder a mulher e o emprego, Linconl se viu perseguido pelo flagelo kafkiano quando percebeu que o homem pra quem vendera seu carro, muito abaixo do preço, num dia de desespero, era o mesmo que seduziu sua mulher e usurpou seu emprego
Sinônimos:  irreal   imaginário   absurdo   surreal  
Antônimos:  transparente   verdadeiro   belo   lucidez   normalidade  
Relacionadas:  desespero   realismo fantástico   literatura   surreal   absurdo  

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s