Argélia é arrastada à força ao conflito do Mali

lacroix.mali conflito se alarga

Argel – A crise dos reféns no campo de exploração de gás de In Amenas arrastou a Argélia para o centro do conflito do Mali, apesar da sua oposição à intervenção militar, com o sequestro de dezenas de estrangeiros na esteira de sua decisão de fornecer apoio logístico para a França, noticia a AFP.

As autoridades argelinas insistiram por um longo tempo numa solução política para a crise no Mali, mas finalmente autorizaram o sobrevoo de aviões de combate franceses para apoiar uma ofensiva terrestre destinada a expulsar extremistas islamitas do norte do país.

O ataque mortífero na madrugada de quarta-feira, no qual extremistas ligados à Al-Qaeda afirmaram ter sequestrado 41 estrangeiros, a maioria deles proveniente de países ocidentais, ocorreu num importante campo de exploração de gás no sudeste da Argélia operado pela gigante britânica BP, pela norueguesa Statil e pela argelina Sonatrach.

hoje (quinta-feira), meios de comunicação estatais informaram que 15 reféns estrangeiros e 30 argelinos que eram mantidos reféns conseguiram escapar dos seus sequestradores.

Posteriormente, numa ofensiva do Exército argelino, muitos outros reféns foram mortos, assim como vários dos sequestradores, num balanço que não parava de subir.

“Este sequestro não é um aviso apenas para os países ocidentais, mas também para a Argélia, que abriu o seu espaço aéreo para os aviões militares franceses”, afirmou Chafik Mesbah, ex-oficial do exército argelino, em entrevista ao jornal local Echorouk.

“É um duro golpe para a Argélia… O objetivo pode ser envolvê-la na guerra que a França está a travar no Mali”, afirmou o jornal Liberty, escrito em francês.

“Isso pode estar sinalizando o início das represálias contra a Argélia, após a autorização de sobrevoo do seu território por caças Rafale franceses e a implementação da operação militar no norte do Mali”, acrescentou.

Os extremistas afirmam que o ataque é uma retaliação pelo apoio da Argélia aos ataques aéreos franceses e por sua linha dura contra os jihadistas, exigindo a libertação de islamitas radicais detidos no vizinho Mali.

“Esta operação é uma mensagem política forte para a Argélia em relação as suas posições intransigentes para com os jihadistas, e uma mensagem para outros países vizinhos”, disse um dos sequestradores, identificado como Abu al-Baraa, à rede de
televisão por satélite Al-Jazeera.

“Nossos detidos em troca dos deles”, afirmou, acrescentando que o seu grupo “contactou nossa liderança no Mali”.

O ministro argelino do Interior, Dahou Ould Kablia, insistiu quarta-feira que Argel não iria negociar com os “terroristas”, depois de anunciar o ataque inicial contra um autocarro que transportava engenheiros para o aeroporto, no qual duas pessoas, incluindo um britânico, foram mortas.

Seis pessoas também ficaram feridas no ataque, incluindo outros dois britânicos, um norueguês, assim como um agente de segurança da Argélia e dois policiais.

Um grupo que se autodenomina “Signatários por Sangue” reivindicou a autoria do sequestro em um comunicado publicado no site mauritano Alakhbar.

O grupo é liderado pelo combatente islâmico veterano Mokhtar Belmokhtar, um ex-líder da Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) que foi expulso do grupo no ano passado e que já foi acusado de sequestros e assassinatos anteriores tanto de argelinos quanto de estrangeiros.

“A Argélia foi escolhida para esta operação para ensinar (ao presidente Abdelaziz) Bouteflika que nunca vamos aceitar a humilhação da honra do povo argelino… ao abrir o espaço aéreo da Argélia para aviões franceses”, disse o grupo. Angola Press

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s