Pibinho baixo: brasileiro faz sexo caseiro

jornal_estado_minas. pibinho

Lá pela década de oitenta, aconselhava o professor e jornalista Edgard Grund: “Casar é bom. É de graça!…”. Os costumes mudaram. Agora todo mundo é noiva e noivo para fazer sexo gratuito. E caseiro.

Talvez seja coisa do pibinho baixo.

Até o jeito de dançar é diferente. Era no agarradinho, sem sair do lugar.
Os bailes, merecidamente, chamados de bate-coxa, rela-bucho, roçadinho.

Não tem mais dança de casal. Isso fica para os argentinos que bailam o tango. O Argentina pode perder para o Brasil no futebol, no carnaval… que passou a ser dança de eu sozinho na multidão.

Coisa do pibinho baixo: as brasileiras estão vendendo a virgindade no exterior. Ou tiram férias em Buenos Aires. Quando se escuta miados nas madrugadas o argentino sabe: mais uma brasileira que viu um pibão.

ar_diario_popular. sexo Buenos Aires

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s