Polícia permite que o jornalista Ricardo Antunes receba “visita humanitária” do Sinjope

liberdade expressão censura apagão indignados

[Depois de várias tentativas, o Sinjope consegue visitar o sócio jornalista Ricardo Antunes. Eis a nota sindical:]

A presidente do Sinjope, Cláudia Eloi, o vice-presidente, Chico Carlos e os diretores Geraldo Bringel e Graça Prado estiveram [nesta sexta-feira, 28 de dezembro] no Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), para um encontro com o jornalista e filiado do Sinjope, Ricardo Antunes. A visita, de caráter humanitário, teve como objetivo ouvir o jornalista que, há dois meses está recolhido naquela unidade prisional.

A presidenta Cláudia Eloi procurou saber como Ricardo se encontra física e emocionalmente. [Esta tardia visita desmente os boatos de que o preso vem sofrendo tortura]. O jornalista revelou que está bem [Não está não! Vem padecendo tortura psicológica. E sob um clamoroso assédio policial. E assédio judicial. Encontra-se depressivo e temeroso de sofrer um atentado por parte de algum assassino].

A presidente explicou o intuito da visita e que, no caso em pauta, o Sindicato nada pode fazer no âmbito jurídico, visto que a acusação que pesa sobre ele não está relacionada com o exercício da profissão. [Está, sim, acusado de ter publicado informações injuriosas contra o bacharel em jornalismo Antônio Lavareda, além do crime de extorsão de venda de uma notícia por um milhão de dólares. Coisa que nenhum jornalista acredita. Que notícia vale tanto? Ricardo considera que está sendo vítima de um complô armado contra ele. Este precedente atinge todos os jornalistas que realizam o Jornalismo Investigativo e o Jornalismo Opinativo. Qualquer um pode ser preso, agora, por extorsão, crime hediondo, inafiançável].

Ricardo Antunes agradeceu o gesto do Sinjope e disse entender perfeitamente a posição do Sindicato. Como não tem antecedentes criminais e possui residência fixa, o jornalista, que está sendo assistido por um advogado, espera para os próximos dias o relaxamento da prisão.

Ricardo Antunes até o momento não deu sua versão pública sobre o caso e manifestou apreensão pelo fato de que o autor da denúncia contra ele conseguiu na justiça que ele seja impedido de se pronunciar em qualquer circunstância sobre o fato , nem mencionar o nome do autor do processo em qualquer publicação. Nesse sentido, Ricardo Antunes fez um apelo ao Sinjope em defesa da liberdade de expressão e contra a censura prévia. O caso será encaminhado para apreciação da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ, em Brasília.

[Fui, durante seis anos, representante eleito do Sinjope na FENAJ, inclusive disputei a presidência com o maior líder sindical da época, Joezil Barros, e deu empate.

Reconheço a liderança e a exemplar vivência jornalística dos profissionais que visitaram Ricardo Antunes. Entendo a isenção do posicionamento do Sinjope, por envolver dois jornalistas: Antônio Lavareda e Ricardo Antunes. E os perigos que corre Ricardo como prisioneiro. Aqui fica ressaltada a importância de tornar o caso nacional, pela necessária e devida apreciação da FENAJ.

É inacreditável que, numa democracia, um réu fique “impedido de se pronunciar em qualquer circunstância sobre o fato, nem mencionar o nome do autor do processo em qualquer publicação”.  Parece os tempos da Santa Inquisição. Isto tem nome. E acontecia nas ditaduras de Hitler, de Stalin e de pequenos césares, como Franco, Salazar, Pinochet, Médici e outras almas sebosas, que mantinham a justiça cativa.

Natural o medo de Ricardo, que se encontra sob o efeito de medicamentos antidepressivos. Que preso fala contra a polícia dentro de uma cadeia de segurança máxima? Veja o caso do jornalista  Mauri König, que se encontra escondido dos delegados do governador Beto Rocha do Paraná. De André Camarante, da Folha de S. Paulo, que se encontra exilado, ameaçado pela bancada da bala da Câmara Municipal de São Paulo. 

Impensável que um jornalista seja impedido de falar, de escrever, de mostrar (fotografar, filmar etc). A liberdade de imprensa no Brasil não é dos jornalistas. Pertence às empresas. Aos monopólios dos meios de comunicação de massa. Liberdade já para o preso político Ricardo Antunes. A prisão de Ricardo está ligada à campanha presidencial de 2014. Não esquecer que foi preso na antevéspera das eleições municipais.

Foi preso porque denunciou desvios e desperdícios de dinheiro público no governo estadual e prefeituras municipais, inclusive para a adultizacão de crianças, crime condenado por educadores, religiosos, verdadeiros sociólogos e psicólogos infantis].

pensamento censura jornalista jornalismo apagão

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “Polícia permite que o jornalista Ricardo Antunes receba “visita humanitária” do Sinjope”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s