Bicheiro Cachoeira solto. Jornalista Ricardo Antunes preso

14-N jornalismo

Depois de amanhã completam dois meses de Ricardo Antunes preso, incomunicável, num calabouço secreto, de segurança máxima, do governador Eduardo Campos.

A Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou, hoje, a liberdade do bicheiro Cachoeira. A defesa de Cachoeira alegou que houve excesso de prazo para a conclusão da investigação, e o argumento havia sido aceito pelo relator, desembargador Tourinho Neto.

No mérito, Tourinho Neto manteve o voto pela liberdade e foi acompanhado pelo desembargador Cândido Ribeiro. A desembargadora Mônica Sifuentes foi contra a concessão do habeas corpus.

Há cerca de 10 dias, Cachoeira foi solto.

Cachoeira anda colecionando habeas corpus.

cachoeira detido

 

Ricardo Antunes foi trancafiado no dia 5 de outubro último, antevéspera das eleições.

Até hoje se desconhece o nome do advogado de Ricardo Antunes. Contra Ricardo a estapafúrdia publicação, ad infinitum, de um press release suspeito e contraditório  da polícia, informando da extorsão ou chantagem ou negociação de uma notícia de um milhão de dólares.

Ensina Angelina Nunes: Jornalismo investigativo é todo trabalho de jornalista que não se limita ao release, ao declaratório. O que o repórter deve fazer é cruzar dados, fuçar orçamento, ler editais, destrinchar leis, ouvir mais personagens, buscar as informações escondidas nas estatísticas. Uma boa matéria dá trabalho, requer tempo, algum dinheiro e capacitação.

José Roberto de Toledo: É mais fácil definir jornalismo investigativo pelo que ele não é: não é entrevista quebra-queixo, resumo de release, declaração de autoridade, curadoria de noticiário alheio. Investigar é procurar informações inéditas e socialmente relevantes, contextualizá-las no tempo e no conjunto de outras informações e contar uma boa história. Não precisa ser apenas sobre corrupção, não precisa mandar ninguém para a cadeia nem derrubar ministro. 

A prisão de um jornalista deve ser investigada. Pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), e pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), da qual Ricardo Antunes é sócio.

O caso Ricardo precisa ser analisado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco (Sinjope).

Que os órgãos de classe tranquilizem a profissão. Notifiquem que Pernambuco não está em temporada de caça.

Ricardo Antunes era o único jornalista que escrevia notícias do desagrado do governador Eduardo Campos.

O blogue de Ricardo, Leitura Crítica, foi fechado pela polícia. Veja a lista de dez bons livros escritos no cárcere. Clique aqui.

Existe ou não existe liberdade de expressão no Brasil?

Que crime praticou Ricardo para ser preso?

Nenhum jornalista, em Pernambuco, possui a fortuna de uma notícia de um milhão de dólares.

ditadura pesquisa indignados

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s