Operação Porto Seguro. Autocensura da imprensa

A Operação Porto Seguro vai ser tratada superficialmente pela Grande Imprensa, que todos os envolvidos são protegidos das multinacionais favorecidas pela Ana (Agência Nacional de Águas) e pela Angu (Agência Nacional de Aviação Civil).

A Ana fez de Paulo Rodrigues Vieira o governador geral das ilhas do Brasil, e rei das águas tão cobiçadas pelas fábricas de bebidas fria e quente. São poderosas multinacionais donas dos nossos aquíferos – a maior e mais valorizada riqueza do Brasil, explorada pelos corsários estrangeiros. Inclusive existe uma velha notícia escondida de que o Brasil deu o Aquífero Guarani aos Estados Unidos como garantia de uma dívida jamais auditada.

Nenhum geógrafo conhece o mapa das ilhas do Brasil. Foi retirado da internet e dos livros didáticos e enciclopédias. Favorecidamente Paulo Rodrigues Vieira sabe o caminho das ilhas.

A Operação Porto Segurou apenas desencantou uma única ilha – a das Cabras. O assunto ilha é tabu. Eu tinha um blogue Ilhas do Brasil. Sofreu apagão.

Garanto que Paulo Rodrigues Vieira é figura intocável. “Imexivel” , diria o ministro Magri.

Hoje a Folha deu uma prova de como vai se comportar a imprensa. Publica uma entrevista de Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, que negou nesta quinta-feira ter cometido tráfico de influência ou qualquer ato de corrupção.

A imprensa e a oposição queriam apenas fazer marolas golpistas com a Operação Porto Seguro. Dilma Rousseff agiu certo e rápido: demitiu toda a gangue. Não sobrou nenhuma cabeça.

Que a imprensa faça o chamado jornalismo investigativo. Lanço o desafio:

O tráfico de influência da gangue não ficou apenas nessa de nomear parentes. Favoreceu poderosas empresas. Quais?

Por que o Brasil é o maior importador de água do mundo? Água para o gado dos latifúndios. Água para os latifúndios de soja, de milho, de cana – a chamada lavoura de exportação. Trata-se de água imprestável para o consumo humano.

Falta água no mundo! A doce água doce de beber. A água de beber, camará, que sai do Brasil engarrafada para vários países.

Folha de São Paulo

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s