Professora dança na chuva em Imperatriz. Alunos estudam em escola alagada. E faz prova segurando guarda-chuvas.

O imperador de Imperatriz Sebastião Torres Madeira
O imperador de Imperatriz Sebastião Torres Madeira

O reeleito prefeito de Imperatriz, no Maranhão, tucano Sebastião Torres Madeira demitiu uma professora que divulgou fotos de alunos realizando provas, em escola municipal, segurando guarda-chuvas.

As fotos proibidas pelo prefeito incompetente e arbitrário:

 

O secretário municipal de Educação, o inapto Zeziel Ribeiro da Silva, acusa que a professora Uiliene Araújo Santa Rosa procedeu de forma errada. Alegou que problemas internos não deveriam ser tratados em redes sociais e que a funcionária procedeu de forma errada. Ele garante que não há perseguição contra a professora e que a medida administrativa também seria tomada em relação a outro funcionário que cometesse o “erro”.

A professora agiu certo. A danosa política educacional de Imperatriz não foi discutida na campanha eleitoral. Isso facilitou a reeleição de Madeira, quatro vezes deputado federal.

O secretário afirmou que o episódio foi isolado (?) e que a escola, que fica no parque São José, um bairro da periferia de Imperatriz, tem um dos melhores prédios entre as municipalizadas da cidade. É isso mesmo. Ninguém faz nada que preste para o povo! Eis outra foto da escola, publicada por Uiliene Araújo Santa Rosa na sua página no Faceboock:

O silêncio da oposição indica que o ideal para Imperatriz seria a eleição de uma professora exemplar, corajosa, que ama sua profissão:

Uiliene Araújo Santa Rosa na sala de aula
Uiliene Araújo Santa Rosa na sala de aula

Publica hoje o G1: Uiliene Araújo Santa Rosa, de 24 anos, foi afastada e teve seu contrato com a Prefeitura Municipal de Imperatriz encerrado nesta sexta-feira (26), após a publicação das fotos que mostravam uma sala de aula do Colégio Municipalizado Guilherme Dourado. Nas imagens é possível ver os alunos se protegendo com guarda-chuvas, além do chão da sala de aula alagado e buracos no telhado da instituição. De acordo com a professora, a intenção ao publicar as imagens era chamar a atenção para os problemas da rede municipal. “Não identifiquei o nome do colégio ou de qualquer funcionário da instituição, mas publiquei as fotos em meu perfil pessoal, pois acredito que não se deve ficar de braços cruzados diante de uma situação assim”.

Após a publicação das fotos, Uiliene conta que percebeu que os colegas a tratavam de forma diferente. “Quando voltamos do feriado, percebi que os funcionários me olhavam de uma forma diferente e já não falavam comigo. Era por causa das fotos. Então começaram a boicotar minhas aulas. Não liberavam data-show ou televisão para que eu trouxesse material para os meus alunos, coisa que faziam para os outros professores”, afirmou ela.

Na mesma semana em que as imagens foram divulgadas, a professora conta que a Secretaria de Educação providenciou reparos imediatos no telhado da escola. No dia 25 deste mês, no entanto, Uiliene foi afastada de seu cargo na unidade Guilherme Dourado e na sexta-feira (26), a professora recebeu um comunicado que anunciava o encerramento de seu contrato com a Prefeitura Municipal de Imperatriz por atos de conduta incabível.

“Fui punida pela publicação das fotos e isso não é justo. É o tipo de coisa que acontecia na época da ditadura, mas estamos em uma democracia, não é? Ela [a diretora] não está agindo como uma gestora. Está tratando a escola como propriedade privada, mas a escola é de propriedade pública, é do município. Acredito na liberdade de expressão e em formar alunos com uma visão crítica, que não se conformem com as coisas do jeito que elas estão. Cresci vendo meu pai e meus professores reivindicando os direitos de educação e aprendi a dar valor a ela, então não poderia ficar de braços cruzados frente a essa situação”, relatou a professora.

Uiliene, que se formou no ano passado, começará a dar aulas no ensino superior, mas não pretende abandonar a luta pela valorização da educação fundamental. “Passarei a dar aula para o ensino superior, mas já dei aulas em várias escolas municipais desde a época da faculdade e sei o estado delas. Tenho um filho pequeno e fico pensando, será em um colégio como esse que ele terá que estudar?”, pergunta a jovem.

 

Desgovernada Imperatriz
Desgovernada Imperatriz

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

2 comentários em “Professora dança na chuva em Imperatriz. Alunos estudam em escola alagada. E faz prova segurando guarda-chuvas.”

  1. A educação pública deverá demorar um longo tempo até contar com o mínimo respeito por parte dos ‘gestores’. Até lá o país afunda na ignorância e suas consequências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s