Priscila defende a transformação das promessas de campanha em compromissos de gestão

Concordo com Priscila Krause. Essa história de que promessa não é dívida faz o povo não acreditar nos políticos  (a perda da Esperança) e na Democracia (a perda da Fé).

Sobre o mentiroso, o vigarista, o povo costuma dizer: não paga nem promessa (voto feito aos santos ou a Deus para obter alguma graça). Outra expressão popular: prometer mundos e fundos. Em política, um vereador não pode criar leis da competência de um deputado estadual, nem este o que é atribuição de um deputado federal ou senador.

Considero um despropósito um candidato a prefeito prometer criar uma secretaria de segurança, quando o guarda municipal é um vigilante desarmado. O melhor que um prefeito pode fazer pela segurança do povo é iluminar a cidade.

A promessa política é tão importante que nomeia um livro de Hannah Arendt

O ministro Francisco Fausto chama de estelionato eleitoral o não cumprimento de uma promessa.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s