Crise e prostituição

Um dos pontos efervescentes da boemia de Belo Horizonte, a Praça Raul Soares e seu entorno, com bares, saunas e boates com apelo gay, escondem um submundo em que garotos de programa ainda adolescentes vendem seus corpos a homens mais velhos. Como pagamento, aceitam R$ 50 ou outra quantia em dinheiro, uma roupa de grife ou um celular novo. As abordagens podem ser feitas no carro do cliente, nas casas noturnas ou na praça mesmo. Equipe do Estado de Minas esteve no local por quatro noites e constatou que a prostituição de menores também envolve drogas, álcool e violência.
Um dos pontos efervescentes da boemia de Belo Horizonte, a Praça Raul Soares e seu entorno, com bares, saunas e boates com apelo gay, escondem um submundo em que garotos de programa ainda adolescentes vendem seus corpos a homens mais velhos. Como pagamento, aceitam R$ 50 ou outra quantia em dinheiro, uma roupa de grife ou um celular novo. As abordagens podem ser feitas no carro do cliente, nas casas noturnas ou na praça mesmo. Equipe do Estado de Minas esteve no local por quatro noites e constatou que a prostituição de menores também envolve drogas, álcool e violência.

Acontece nas casas noturnas heterossexuais. Empestadas de garotas e garotos de programas. A pobreza endêmica do Brasil leva nossa juventude para os luxuosos balneários e cassinos dos quatro cantos do mundo. Um tráfico que pode acabar. Que a crise da Europa tem prostituído jovens da Espanha, Portugal, Irlanda e antigos países da Cortina de Ferro.

Para o puritanismo, o espanto e o escândalo  da prostituição da classe média. Nas classes mais pobres sempre existiu o comércio do sexo, e legalizado como uma profissão pelo legislativo, pelo judiciário, pelo executivo. Pela sociedade. As igrejas consideram apenas um pecado.

Antes da Lei Áurea, os jornais publicavam anúncios: “vende-se uma virgem”, “vende-se escravo de boa aparência”. Ainda hoje os/as adolescentes de  boa aparência são favorecidos na busca do primeiro emprego.

Compra o corpo como mercadoria quem tem dinheiro. Quem recusa pagar sempre termina em uma delegacia de polícia. Como aconteceu com o jogador Ronaldo. Trata-se de um crime econômico.

O crime sexual existe na perversão. No stalking, no assédio no trabalho, no feminicídio, no serial killer, no estupro, na pedofilia, na lesbofobia, na homofobia, na misandria, na misoginia etc.

O tráfico de pessoas vende escravos para diferentes serviços. Serviços sujos e pesados.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s