Pedófilo Sílvio Galiza solto na Bahia de todos os pecados

Condenado por abusar sexualmente e matar o adolescente Lucas Vargas Terra, em Salvador, o ex-pastor Silvio Roberto Galiza, teve progressão de regime concedida nesta sexta-feira (13) pela juíza Patrícia Sobral, da Vara de Execuções Penais de Lauro de Freitas, na região metropolitana, onde o preso cumpria pena.
Lucas tinha 14 anos quando foi esganado, abusado sexualmente e carbonizado no dia 21 de março de 2001.
De acordo com informações da assessoria da Secretária de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap), o interno cumpria pena em regime semiaberto e, a partir de agora passa a cumprir pena no regime aberto, com o direito de sair da Casa de Albergados e Egressos, no Complexo Penitenciário da Mata Escura, de segunda à sexta-feira durante o dia. Ainda segundo a Seap, Galiza deve dormir todas as noites na unidade e não pode sair do local nos finais de semana.
Em entrevista ao G1 nesta sexta-feira, o pai de Lucas Terra, Carlos Terra, disse que recebeu a notícia da progressão de regime de Silvio Galiza com surpresa. “É muita indignação, muita revolta que estou sentindo. Quero perguntar ao presidente do Tribunal de Justiça da Bahia onde está o exame criminológico do Galiza para estar livre para andar em Salvador agora, pegar outras crianças, abusar, queimar… Estou revoltado, não tenho palavras para dizer o que estou sentindo, isso é uma barbaridade”, disse.
E acrescentou:“Esses religiosos pedófilos, covardes, assassinos, seres abaixo da animalidade, merecem a prisão.
Este crime hediondo não pode entrar para o rol de crimes insolúveis. Irei lutar até o fim da minha vida para ver estes pedófilos assassinos presos. Eles não podem continuar impunes, andando, livremente pelas ruas e shoppings de nosso país, para destruir outras famílias, como destruíram a minha.
Quando se perde os pais, perde-se o passado, quando se perde um filho, perde-se o futuro.
Sei que no meu país existem autoridades dignas e honradas que não se curvam diante do poder econômico.
Pelo amor de Deus, alguém tem que ter autoridade, coragem e raça para prender estes pedófilos assassinos”.

 
O assassino Sílvio Galiza acusou o bispo Fernando Aparecido da Silva e o pastor Joel Miranda como os autores do crime.
Em Juiz de Fora, um estudante tarado anda solto. Em abril último, desflorou uma colega no campus da Universidade Federal, no Instituto de Artes e Design – AID, durante uma festa de calouros.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s