Meninos em São Paulo imitam gangue de estupradores do campus da Universidade Federal de Juiz de Fora

Menina foi abusada por oito menores. Desenho do Correio da Manhã de Portugal
Menina foi abusada por oito menores. Desenho do Correio da Manhã de Portugal

A imprensa internacional deu destaque ao hediondo crime. O Correio da Manhã de Portugal é um jornal conservador. O realce está no inedetismo do crime.

A polícia mineira vem escondendo o estupro na Universidade Federal de Juiz de Fora. Faz que não sabe o perigo que representa uma gangue solta no campus.

Publica o Correio:

Uma menina de 13 anos foi vítima de um brutal abuso sexual colectivo praticado por oito menores, com idades entre os 14 e os 17 anos, no bairro de Vila Penteado, onde todos vivem, na zona norte da cidade brasileira de São Paulo. Os oito violadores já foram identificados e poderão apanhar penas de prisão até três anos, pena máxima aplicável a um menor no Brasil.

por Domingos Grilo Serrinha

A polícia apreendeu a um dos menores um vídeo em que as sucessivas sevícias sexuais inflingidas à menina pelos oito acusados, em grupo e um após outro, estão claramente provadas e os seus autores identificados. Como não poderiam negar a violação, os acusados alegaram que os actos sexuais foram consentidos pela menina, que, segundo eles, também os desejou, mas na gravação a vítima pede claramente que a deixem ir embora, que não continuem com os abusos.

De acordo com o depoimento da vítima, os oito violadores estavam perto da sua casa quando esta voltava da escola e ofereceram-lhe algo para beber que parecia ser água. Como dois dos acusados são colegas dela na escola e outros são vizinhos, a menina, que ia acompanhada de uma amiga, não desconfiou das intenções do grupo e aceitou a bebida, ficando imediatamente dopada.

Devido a essa semi-inconsciência, não sabe dizer o que aconteceu à amiga, se também foi ou não violada. A polícia, no entanto, acredita que os agressores também tenham molestado a outra menor e que este não foi o primeiro crime do género praticado pelo grupo.

Na esquadra, os menores não pareceram muito preocupados e alguns chegaram a sorrir quando foram fotografados pelos agentes para o cadastro criminal. Além do abuso sexual, começaram a fazer chantagem com a menina, ameaçando divulgar as imagens do abuso sexual colectivo na internet se esta não fizesse tudo o que o grupo mandava, o que fez a vítima pedir ajuda à mãe, que chamou a polícia.

Comentário do editor: Tarado sexual tem que ser preso. O chefe dessas gangues sempre é um psicopata. E todos, não importa, a idade, anormais. Do grupo, fatalmente, surgirá um serial killer.
São bestas humanas, almas sebosas, capazes de todos os crimes.
Quem estupra não é menor de 17 anos. Apenas um animal. Os pais, quando protegem, inclusive as chamadas autoridades competentes, são cúmplices. Para essa escória existe hospital psiquiátrico.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s