O estudante brasileiro apático e medroso

Praça do Sol
Praça do Sol

 

Noticia O Globo: “A polícia prendeu na madrugada deste domingo (13) na Puerta del Sol, em Madri, pelo menos 18 manifestantes que protestavam contra a maneira como o governo enfrenta a crise econômica no país. Os preso foram pegos quando sonhavam

 

Apesar das prisões, os protestos continuavam neste domingo, exigindo a soltura dos detidos.

Os ‘indignados’ celebram um ano de protestos contra a economia. Eles planejam repetir o que fizeram no ano passado e ficar um mês acampados na praça.

As prisões ocorreram porque os manifestante se recusaram a deixar o local.

Os indignados espanhóis chamaram a atenção em maio passado e acabaram inspirando movimentos semelhantes em outros países, inclusive no Brasil”.

Que coisa mais sem sentido! manifestações aconteceram por todas as cidades da Espanha pelo direito de acampar um mês na Porta do Sol. Por pedirem coisa besta a polícia agiu exemplarmente. E a do Brasil deve fazer o mesmo.

Se a polícia de um rei, bate. A polícia de um governador do Brasil, sem sangue azul, mais que seguir o exemplo, deve manifestar seu instinto animal de origem plebeia.

Bom fazer o reparo. No Brasil não existe movimento dos indignados. Tanto que ninguém foi para rua nem ontem nem hoje. Se teve alguma manifestação a imprensa censurou.

No Brasil os estudantes realizam trotes para receber os calouros. Sem cartazes de protesto. Preferem beber, e os veteranos abusam dos novatos. No campus da Universidade Federal de Juiz de Fora teve o estupro de uma menor de 17 anos. Estupro ou curra.

Veja a diferença. No trote da UF-JF este ano

Em Madri ontem

ESCUTA DUAS CANÇÕES

No Brasil, compositores e cantores, para não sair da lista dos contratados para os shows dos prefeitos nos finais de semana, esqueceram as músicas de protesto.

Esta música portuguesa profetiza o futuro dos estudantes de nossas universidades: veja vídeo.

O conservador jornal El Mundo, de Madri, divulga hoje:

Rafa Sánchez afirma que no puede vivir sin componer “sobre las cosas que me mueven el corazón” y, en esta ocasión, las reivindicaciones del 15M no le han dejado indiferente.

‘Madre Mundo’, interpretado a dúo con Carolina Muñoz, es un canto a la fuerza de la unidad y el vídeo promocional está salpicado de imágenes de las protestas de los indignados.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s