Os juros dos serviços essenciais e dos impostos. Ninguém fala deles

Para cortar o rendimento – que já era pequeníssimo – da caderneta de poupança dos pobres, o governo não negociou com nenhum trabalhador que ganha o salário mínimo, nenhum bacharel que recebe o pisoteado piso. Fez na marra.

O governo não tirou nada dos especuladores internacionais do cassino da bolsa. Nem vai baixar os juros das contas de luz, de água, de telefone, do condomínio (principalmente de quem paga aluguel – os sem teto da classe média), do imposto de marinha, da taxa dos bombeiros, do IPTU e outros.

Esse economês de spread, de rankig de taxas cobradas; esse vocalulário todo em língua estrangeira, não engana mais o brasileiro. O governo devia ser transparente, e falar a língua do povo para o povo. Que é ele, com o salário congelado, quem vai pagar as contas.

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s