As elites temem qualquer referendo. Ouvidos moucos para a voz do povo

Vox populi, vox Dei. Voz del pueblo, voz del cielo. Toda heresia precisa ser combatida: “Dieu s’exprime  par le truchement du peuple, dont la volunté est sacrée; cette divinisation de l’expression populaire est propre aux démocraties absolues de droit divin”.

Certa estava a igreja medieval que proibia a leitura, pelo povo, dos livros sagrados.

Jango fez um plebiscito para anular o parlamentarismo que lhe foi imposto pelos militares, como condição para tomar posse com a renúncia de Jânio. Terminou exilado.

Na primeira eleição presidencial pós 64,  a pergunta: qual o regime ideal: parlamentarismo, presidencialismo ou monarquia? Se o povo tivesse votado na volta do império de Pedro II, Fernando, o Collor, teria sido coroado rei.

A última consulta, para combater a violência: se as armas das agências de segurança e latifundiários deveriam ser made in Brazil ou importadas. O povo votou pela continuação do tráfico.

Metade da população possui um rendimento mensal máximo de 270 reais. As armas do povo sempre foram seus instrumentos de trabalho. As passeatas dos cortadores de cana com suas foices causam espanto e medo na imprensa golpista, desde os tempos das Ligas Camponesas de Francisco Julião.

“Das espadas farão relhas de arado, e das lanças forjarão foices”.

Tudo que for arma para o povo deve ser recolhido pela polícia.

Qualquer cartilha imperialista ensina: não existe revolução pelo voto. O resultado das urnas deve ser previsto, para evitar o remédio amargo de uma ditadura militar.

Plebiscito ou referendo como farsa. Jamais para as reformas de base, para auditar a dívida, para combater o enriquecimento ilícito.

 

 Escreve Leonardo Boff:

Presidenta Dilma, exija um referendo nacional

“Que a presidente evite aceitar o encurralamento em que os ruralistas e seus comparsas a colocaram – incluindo com ameaça pública de que derrubarão quaquer veto e exija a convocação de um Referendo nacional, para que a cidadania expresse soberanamente se aceita ou não o código florestal votado pelo Congresso”. O comentário e a proposta é de Ivo Poletto, assessor do Forum Mudanças Climáticas e Justiça Social em artigo no seu blog, 28-04-2012.Eu mesmo, LBoff, tempos atrás sugeri no twitter que a Presidenta Dilma convocasse um plebiscito popular para que a nação inteira pudesse discutir as principais questões ligadas ao nosso futuro como espécie humana, à natueza, ao Planeta, à nossa civilização e importância do Brasil para uma saida bem sucedida da atual crise ecológica global.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s