Estão soltos os comandantes da chacina de Carajás

Levante da Juventude:

Exigimos justiça e punição aos responsáveis pelo massacre de Eldorado de Carajás, em que 21 companheiros foram assassinados, (19 executados na hora e dois que morreram mais tarde), durante operação da Polícia Militar a mando do Governador Almir Gabriel, no governo FHC, no município de Eldorado dos Carajás, no Pará, em 1996, no dia 17 de abril.

Após 16 anos ao massacre, que teve repercussão internacional, os policiais e os governantes foram inocentados. Mas os dois comandantes foram condenados 220 anos de cadeia. Entretanto, recorreram e estão livres. Agora dia 28 de março, o STF determinou que eles deveriam ser presos. E até agora, estão ainda soltos.

Por outro lado, desde que se instalou a democracia em 1985, já foram assassinados mais de 1700 trabalhadores rurais. E apenas 70 casos foram a júri, e destes apenas 15 condenados. O Poder Judiciário no Brasil só funciona a favor dos ricos. E para proteger os interesses dos latifundiários. E a cada dia aparece mais denúncias na televisão das falcatruas no Poder Judiciário. Porque ainda é um poder monárquico, que não depende do voto do povo. Meia dúzia fazem o que querem. E depois se aposentam ganhando milhões, que o povo vai pagar pro resto da vida.

Leia o manifesto completo no sítio do Brasil de Fato.

A marcha interrompida
A marcha interrompida
O massacre virou história em quadrinhos, literatura de cordel, romance, poesia, teses cadêmicas, livros de sociologia, história e política
O massacre virou história em quadrinhos, literatura de cordel, romance, poesia, teses acadêmicas, livros de sociologia, história e política
Cruzes marcam o local do massacre
Cruzes marcam o local do massacre

Os cadáveres transportados de Eldorado dos Carajás, antigo distrito de Curionópolis
Os cadáveres transportados de Eldorado dos Carajás, antigo distrito de Curionópolis
O velório
O velório
As covas rasas em Curionópolis (cidade de Curió, interventor militar de Curionópolis e Eldorado do Carajás
As covas rasas em Curionópolis (cidade de Curió, coronel Curió, sequestrador, torturador, assassino de presos políticos, interventor militar de Curionópolis e Eldorado dos Carajás)
Reforma agrária: sete palmos de terra
Reforma agrária: sete palmos de terra

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s