O Programa Minha Casa, Minha Vida não é para qualquer um

Programa Minha, Casa Minha Vida, de Dilma Rousseff, tem por objetivo financiar, até o fim do governo, 2 milhões de moradias para famílias de baixa e média renda.

Só para uma comparação: Marco Maciel, quando governador de Pernambuco, construiu cem mil moradias. Duvido Dilma repetir o feito em cada Estado, num período de menos de quatro anos.

Cito o exemplo para demonstrar que falta coragem do governo para eliminar o déficit de moradia.

Veja os riscos e o tipo de moradia oferecidos à chamada nova classe média:

Não se faz nada que preste para o povo.

Promessa de Dilma:”A segunda fase do Programa Minha Casa, Minha Vida, prevê a construção de 2 milhões de unidades habitacionais.

Serão investidos R$ 125,7 bilhões entre 2011 e 2014. Desse total, R$ 72,6 bilhões são para subsídios e R$ 53,1 bilhões serão destinados a financiamentos.

A segunda etapa prevê a ampliação das faixas de renda familiar nas áreas urbana e rural para aumentar o número de beneficiários do programa, priorizando a população de baixa renda.

A meta de atendimento para as que recebem até R$ 1,6 mil por mês na área urbana e até R$ 15 mil anuais na zona rural subiu de 40%, na primeira segunda fase, para 60%. Com isso, 1,2 milhão de moradias serão destinadas a essas famílias”.

É um programa que junta os salários dos pais, dos filhos, e que não pode entrar como renda familiar as pensões e/ou aposentadorias dos avós, jamais. Isso forçaria uma limitação no tempo de pagamento das prestações, tendo como contagem os anos possíveis de vida dos velhos, dos idosos ou dos anciões envolvidos na compra do imóvel, além de aumentar o preço das mensalidades, por conta de um caríssimo seguro de vida.

É um programa que, para comprar, alija, exclui a metade da população brasileira, que tem um rendimento mensal de 270 reais, idem a maioria dos assalariados, pensionistas e aposentados que recebem 610 reais.

O sonho da casa própria pode ser um desastre. Um pesadelo.

Com todos os empregos, nas empresas privadas, hoje temporários, que projeto é viável para o futuro?

Estão aí os leilões de casas e apartamentos da Caixa Econômica e Banco do Brasil, enriquecendo leiloeiros e especuladores imobiliários, havendo casos e mais casos de pessoas físicas com mais de mil imóveis para alugar.

O Programa Minha Casa, Minha Vida pode apenas beneficiar velhos, idosos e anciões com botijas de ouro e prata, e funcionários com supersalários de marajás e Marias Candelária.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s