6 – Negro de alma branca. São Bento e São Benedito

O atual papa Benedictus (em latim, língua oficial do Vaticano) é chamado de Bento XVI (em português), diferentemente dos outros quinze papas de nome Benedito.

O que motivou esta decisão da Igreja Católica não ficou esclarecida.

A Igreja Católica canonizou Bento e Benedito.

São Bento de Núrcia

São Bento, por Fra Angelico
São Bento, por Fra Angelico

Nascido Benedetto da Norcia (Nórcia, c. 480  — monastério de Montecassino, c. 547) monge italiano, fundador da Ordem dos Beneditinos, até hoje uma das maiores ordens monásticas do mundo. Foi o criador também da Regra de São Bento, um dos mais importantes e utilizados regulamentos de vida monástica existentes e inspiração de muitas outras comunidades religiosas.

Foi designado santo padroeiro da Europa e da Alemanha, sendo venerado não apenas por católicos, como também por ortodoxos. Foi o fundador da Abadia do Monte Cassino, na Itália (destruída durante a Segunda Guerra Mundial e posteriormente restaurada). É comemorado a 11 de julho.

Vide biografia

São Benedito Moro de Palermo

São Benedito Moro de Palermo OFM Cap (Sicília, 31 de Março de 1524 – Palermo, 4 de Abril de 1589) (São Benedito, o Negro, ou São Benedito, o Africano ou São Benedito, o Mouro).

Urna antiga

Algumas versões dizem que ele nasceu na Sicília, sul da Itália, em 1524, no seio de família pobre e era descendente de escravos oriundos da Etiópia. Outras versões dizem que ele era um escravo capturado no norte da África, o que era muito comum no sul da Itália nesta época. Neste caso, ele seria de origem moura, e não etíope. De qualquer modo, todos contam que ele tinha o apelido de “mouro” pela cor de sua pele.

Foi pastor de ovelhas e lavrador. Aos 18 anos de idade já havia decidido consagrar-se ao serviço de Deus e aos 21 um monge dos irmãos eremitas de São Francisco de Assis o chamou para viver entre eles. Fez votos de pobreza, obediência e castidade e, coerentemente, caminhava descalço pelas ruas e dormia no chão sem cobertas. Era muito procurado pelo povo, que desejava ouvir seus conselhos e pedir-lhe orações.

Translado do corpo intacto de São Benedito
Cumprindo seu voto de obediência, depois de 17 anos entre os eremitas, foi designado para ser cozinheiro no Convento dos Capuchinhos. Sua piedade, sabedoria e santidade levaram seus irmãos de comunidade a elegê-lo Superior do Mosteiro, apesar de analfabeto e leigo, pois não havia sido ordenado sacerdote. Seus irmãos o consideravam iluminado pelo Espírito Santo, pois fazia muitas profecias. Ao terminar o tempo determinado como Superior, reassumiu com muita humildade mas com alegria suas atividades na cozinha do convento.

Sempre preocupado com os mais pobres do que ele, aqueles que não tinham nem o alimento diário, retirava alguns mantimentos do Convento, escondia-os dentro de suas roupas e os levava para os famintos que enchiam as ruelas das cidades. Conta a tradição que, em uma dessas saídas, o novo Superior do Convento o surpreendeu e perguntou: “Que escondes aí, embaixo de teu manto, irmão Benedito?” E o santo humildemente respondeu: “Rosas, meu senhor!” e, abrindo o manto, de fato apareceram rosas de grande beleza e não os alimentos de que suspeitava o Superior.

Nova urna onde se encontra atualmento o corpo do glorioso São Benedito
São Benedito morreu aos 65 anos, no dia 4 de abril de 1589, em Palermo, na Itália. Seu corpo está intacto.
Diz o Ofício Litúrgico de São Benedito da Ordem Franciscana: “Benedito que pela sua cor preta foi chamado o santo preto”.

Uma piedade falsa dos séculos 19 e 20 (até os anos 50) queria atribuir uma cor de pele morena, quase branca, como se não ficasse bem a glorificação nos altares da raça negra. Assim como Benedito, também Santo Elesbão e Santa Efigênia são de cor negra e outros santos e santas que foram embranquecidos.

ORAÇÃO  

 

          São Benedito, filho de escravos, que encontrastes a verdadeira liberdade servindo a Deus e aos irmãos, independente de raça e de cor, livrai-me de toda a escravidão, venha ela dos homens ou dos vícios, e ajudai-me a desalojar de meu coração toda a segregação e a reconhecer todos os homens por meus irmãos. São Benedito, amigo de Deus e dos homens, concedei-me a graça que vos peço do coração. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.

       São Benedito rogai por nós !

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

2 comentários em “6 – Negro de alma branca. São Bento e São Benedito”

  1. Acredito que a intenção foi boa, mas na prática ficou bastante ofensivo. Por favor, não digam jamais “negro de alma branca”, como se a alma de um negro fosse algo desprezível e precisasse ser embranquecida para ter algum valor. Essa frase é racista e ofende não só os negros mas todos aqueles, independentemente da raça, que lutam pelos direitos humanos. Muito obrigado.

  2. o que uma cor de pele significa uma santidade ou santificação de uma alma?

    O que vale e salva uma pessoa e a fe e obras pro Senhor , pois a aparencia se deforma, eh passageira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s