Confrontos entre a polícia e manifestantes na Grécia

Registaram-se esta manhã confrontos entre a polícia e os manifestantes concentrados nas imediações do parlamento grego, em Atenas.

Havia milhares de pessoas nas ruas – a polícia estima que sejam 7 mil – neste que é o primeiro de dois dias de greve geral. Um grupo atirou pedras e coktails molotov contra a polícia, que respondeu com o lançamento de gás lacrimogénio.

Os incidentes terão durado cerca de 10 minutos, quando a manifestação já decorria há três horas.

O sindicatos gregos iniciaram hoje uma greve geral de 48 horas contra as medidas de austeridade impostas pelo segundo pacote de ajuda financeira ao país que devem ser votadas no parlamento no domingo.

Os transportes públicos estão paralisados, e a manifestação na Praça Syntagma, frente ao edifício da assembleia, para onde foram mobilizadas as forças da ordem, acabou por degenerar em confrontos.

Vai ainda realizar-se uma marcha de protesto no centro da cidade.

Esta é a segunda greve geral decretada pelas centrais sindicais gregas em menos de uma semana. Na terça-feira, as duas centrais sindicais que representam os setores público e privado decretaram uma paralisação de 24 horas com manifestações que juntaram mais de 20 mil pessoas em Atenas e Salónica, no norte do país.

Vídeo

La policía antidisturbios intentó contener a los miles de personas que se volcaron al centro de la ciudad para llegar hasta el Parlamento y recibió un verdadera lluvia de cócteles molotov y piedras. Paralelamente, la policía demandó a la fiscalía general una orden de arresto inmediata contra los representantes de la “troika” de acreedores internacionales, integrada por el Fondo Monetario Internacional (FMI), la Unión Europea (UE) y el Banco Central Europeo (BCE).

“Están poniendo en peligro la democracia griega y la supervivencia de su pueblo” con las medidas fondomonetaristas, informó la policía en una carta publicada por la prensa griega y enviada a los representantes del BCE, el FMI y la Comisión Europea (CE). La presidencia del sindicato de la policía, Poesy, acusó concretamente a los integrantes de la “troika” de intentar violar la soberanía nacional, así como de robar al pueblo griego sus bienes. En las calles de la capital, antes de que se produjeran los choques, pudo verse a militantes distribuyendo panfletos titulados “Wanted” (buscado) en los que se ofrece una recompensa de un euro al que detenga a algún integrante de la “troika”.

 

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s