A impunidade que envergonha a justiça do Pará

Os juízes e desembargadores  do Pará querem ser investigados pelos juízes e desembargadores do Pará. Estão todos contra a ministra Eliana Calmon. Preferem (têm motivos de sobra) um CNJ sem poder. Um Conselho Nacional de Justiça de enfeite. Para inglês ver.

Veja a justiça deles como é:

Escrevem Antonia Macedo Ribeiro, Frei Henri Burin des Roziers & Jovandre Antonio de Melo:

“Por causa da morosidade e gravíssimos erros da Justiça do Pará, fazendeiros mandantes de assassinatos de trabalhadores rurais no Sul do Pará não serão julgados, beneficiando-se da prescrição dos crimes”.

Conheça os crimes dos fazendeiros

1- Fazendeiro Valter Valente: prescrição depois de 28 anos

2- Fazendeiro Geraldo de Oliveira Braga: prescrição depois de 20 anos

3- Fazendeiro Jerônimo Alves de Amorim
Isso é lá justiça… Clique 
Engavetar processo é uma forma de julgar. No caso, um expediente safado para livrar a cara de bandidos, assassinos, escravocratas e grileiros.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s